A força da camisa 10 do Passo Fundo

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!
O Esporte Clube Passo Fundo foi fundado em 1986 e já nasceu vencedor, conquistando todas as fases da Segunda Divisão, até a conclusão consagradora diante do São José, no Estádio Passo D'areia, em Porto Alegre. Quando surgiu para o cenário do futebol, o tricolor já apresentou um craque que marcaria a sua história: Claudio Freitas.
Foi o legítimo camisa 10. Dono de um chute potente, lançamentos precisos e dribles espetaculares, Claudio se tornou o grande ídolo dos torcedores. Ele levava o público ao Estádio Vermelhão da Serra.  Identificado com o clube, Claudio comemorava várias vezes junto aos torcedores.
As suas cobranças de falta eram exuberantes, tornando difícil a tarefa para os goleiros adversários. Entre eles, o grande Taffarel em 1997, em uma tarde de domingo. O Passo Fundo largou na frente, com cobrança forte e bem direcionada ao canto esquerdo por parte do maestro da 10. Mais tarde, o Internacional empataria em 1x1, com gol de Paulinho.
Claudio Freitas voltaria a marcar sobre o futuro arqueiro Taffarel no Estádio Beira-Rio, em cobrança de falta. Mesmo quando o time foi goleado por 6x1 em 1991, o jogador deixou a sua marca na rede colorada.
Nos anos 90, o grande talento da meia, que já havia passado pelo Grêmio, continuou a brilhar pelo tricolor, antes de se transferir para o Brusque, onde foi campeão catarinense e marcou o gol do título sobre o Avaí (1992).  Antes de deixar o Passo Fundo, ainda foi decisivo nos jogos contra o Ypiranga, de Erechim, e marcou um gol espetacular sobre o Pelotas. Era o ano de 1991, quando, ao receber a bola na entrada da área pelo lado esquerdo, deu três "lençóis" sobre a zaga auri-cerúlea e completou com força para vencer o arqueiro Juarez - o time do Planalto ganhou por 2x1. Quem viu aquele gol, aplaudiu de pé.
Em 2000, Claudio Freitas esteve de volta ao Passo Fundo, integrando o elenco que subiu para a fase decisiva do Gauchão. Marcou muitas vezes, com excelentes conclusões, como na vitória de 3x1 sobre o 15 de Novembro, de Campo Bom.
Quem poderia vestir com destaque a camisa 10 do Passo Fundo, além de Claudio Freitas?
Surgiu um grande jogador com a missão em 1999: Ferreira. Foi um brilhante meio-campista, com qualidade no toque de bola, precisão nos lançamentos e conclusões certeiras. Foi o primeiro atleta a marcar três gols pelo clube sobre a dupla Gre-Nal, nos 3x3 diante do Internacional em uma brilhante noite de sexta-feira pelo Campeonato Brasileiro. O feito seria igualado por Felipe em 2006, quando o tricolor foi derrotado por 4x3 pelo Internacional, que estava se estruturando para ser campeão da Libertadores e do Mundial.
Sempre fica o desafio para quem veste a 10 tricolor. Ela tem história. Cada atleta tem suas características, mas saber honrá-la em todas as competições é tudo o que o torcedor espera. Mas, a idolatria de Claudio Freitas, muito bem seguida por Ferreira, está eternizada na vida do Esporte Clube Passo Fundo!

Até a próxima. Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas