Há 30 anos, E. C. Passo Fundo estreava na Série A do Gauchão!

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!
Estamos fechando o ano e nos preparando para um 2017 de muitas emoções para o nosso esporte. Será exatamente a lembrança de 30 anos de história do Esporte Clube Passo Fundo na Série A do futebol gaúcho.
Foram tantos momentos marcantes que emocionaram a torcida tricolor, dentro e fora de casa, mas principalmente no Estádio Vermelhão da Serra. As gerações vão se sucedendo, mas ficam as histórias para contar, sendo que muitas delas procuramos registrar em nossa coluna.
Naquele ano de 1987, tudo começava para o Passo Fundo na Divisão Especial. O primeiro jogo ocorreu longe da torcida, no Estádio Beira-Rio. Houve a derrota para o Internacional por 2x0, com gols marcados por Amarildo e Bandeira (hoje treinador). Apesar de perder, o time do Planalto Médio não deixou por menos, criando boas oportunidades para balançar a rede. Na melhor delas, Claudio Freitas acertou o travessão da meta do goleiro Taffarel.  No returno, a bola entraria, no Vermelhão da Serra, quando o camisa 10 tricolor superou, em cobrança de falta, o futuro goleiro tetracampeão do mundo.
Aquela estreia de Gauchão em Porto Alegre era marcante na vida do Passo Fundo. Houve pouco tempo para se armar o elenco. O São José, da capital, havia recorrido aos tribunais contra o acesso do tricolor, alegando que o clube havia ingressado na trajetória profissional sem ter disputado uma competição amadora. O argumento não serviria, uma vez ter se originado da pretendida fusão entre 14 de Julho e Gaúcho. Coube ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) dar ganho de causa ao Passo Fundo, com todo os méritos, uma vez ter sido campeão dentro de campo.
O tempo passou. A partir do dia 29 de janeiro estaremos acompanhando pela Rádio Planalto uma nova participação do tricolor passo-fundense na elite do Rio Grande do Sul. Um lugar a ser defendido com muito empenho por aqueles que conhecem a trajetória do clube e todos os desafios enfrentados ao longo dessas três décadas. Entre sorrisos e lágrimas, a história foi construída e precisa ser valorizada.
Até a próxima! Próspero 2017!
Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas