Batalha dos Aflitos 2: A Volta por Cima, graças ao artilheiro Felipe!

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!
Um dos momentos históricos e inesquecíveis na vida do Grêmio de Porto Alegre foi vivenciado em 26 de novembro de 2005, quando, ficando com sete jogadores, conseguiu ganhar no Estádio dos Aflitos por 1x0 e retornar para a Série A do futebol brasileiro. Se para o clube gaúcho foi uma jornada memorável, para o derrotado Náutico foi uma carga muito pesada para carregar.
A direção do clube alvirrubro tomou algumas medidas importantes para dar a volta por cima, recuperar a confiança dos torcedores e reacender a chama do sonho de chegada à elite do futebol brasileiro. Havia um cenário de casa arrasada. Ademar, que perdeu o pênalti defendido por Galato, por exemplo, ficou por dois dias sem conseguir dormir e se perguntando das razões de aquilo ter acontecido com ele. Mais tarde, como era jovem, superou a tristeza e foi jogar no futebol europeu.
Entre as medidas adotadas pelos dirigentes esteve a de buscar novamente o técnico Roberto Cavalo. Ele havia sido demitido após a "Batalha dos Aflitos" e foi trabalhar no interior de São Paulo. O ex-jogador voltou e conseguiu realizar um grande trabalho.
Um fator importante a ser considerado que em 2006 o Esporte Clube Passo Fundo havia sido rebaixado para a Divisão de Acesso do futebol gaúcho no primeiro semestre. Apesar do insucesso, o atacante Felipe fez um campeonato excelente. Empilhou gols e até mesmo marcou na última rodada contra a Ulbra - empate por 1x1 -, quando somente a vitória interessava na cidade de Canoas.
Com isso, o clube pernambucando fez questão de contratá-lo. Dito e feito. Felipe fez uma Série B espetacular, sendo artilheiro do time e conquistando a simpatia da torcida. No campeonato, o jogador natural de Ernestina (RS) anotou 16 gols.  Não foi, porém, o goleador máximo da competição, título que coube a Vanderlei, do Gama, com 21.
O Náutico tem uma torcida apaixonada, que costuma jogar junto com o time, incentivando os seus atletas do início ao fim. Felipe caiu, verdadeiramente, pelo seu talento e qualidade em finalizações, nas graças dos torcedores. Teve ao seu lado a parceria do maior ídolo alvirrubro, um cearense: Kuki. Esse também jogou um grande futebol naquela temporada.
Ao final, o clube subiu para a Série A, na companhia do campeão Atlético Mineiro, de Sport e América (RN). A direção, com a alegria recuperada após o trauma da temporada anterior, lançou, então, o seu DVD: "Batalha dos Aflitos 2 - A Volta por Cima".
Atualmente, a agremiação está na Segunda Divisão e deixou escapar a sua classificação na última rodada contra o Oeste em 2016. Mesmo assim, certamente se reerguerá e irá buscar o seu lugar na divisão maior do futebol brasileiro, agora tendo a companhia do rival Santa Cruz.
O futebol transmite, sobretudo, os seus ensinamentos para a vida: sempre são enfrentados obstáculos pelo caminho é preciso ser grande para vencê-los e compreender que o futuro pode oferecer novas alegrias e muitos motivos para se orgulhar!

Até a próxima!
Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas