Depressão na adolescência

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a depressão atinge 13% dos adolescentes, entre 10 a 19 anos, sendo um dos principais distúrbios a incapacitar os jovens. Durante esta fase do ciclo vital, os sintomas da depressão podem acabar sendo confundidos com mudanças de comportamentos naturais da fase.

Os especialistas esclarecem que é preciso considerar a intensidade e a frequência desses sinais e avaliar o estado geral do adolescente. Os sinais mais característicos são:

1)   HUMOR DEPRESSIVO: O adolescente parece não sentir alegria ou prazer de viver. Apresenta-se sem esperança, melancólico, com crises de choro sem razão aparente.

2)   APATIA: O adolescente demonstra falta de energia, muitas vezes é confundida com preguiça.

3)   ISOLAMENTO SOCIAL: Tendem a se isolar de amigos e familiares.

4)   IRRITABILIDADE E INSTABILIDADE: Mau humor, explosões de raiva.

5)   ALTERAÇÃO DO RITMO DO SONO: São comuns episódios de insônia.

6)   ALTERAÇÃO DE APETITE: Perda ou ganho de peso significativo em pouco tempo podem estar associados.

7)   DIFICULDADE DE CONCENTRAÇÃO: Associada à queda no rendimento escolar.

8)   USO DE DROGAS: Muitas vezes, resultante de tentativas de automedicação para alívio do sofrimento causado pela doença.

9)   AUTOMUTILAÇÃO: Provocar a dor física é uma forma de tentar tirar o foco da dor emocional. Exemplo: cortando-se ou queimando-se.

10)  COMPORTAMENTO DE RISCO: Andar distraidamente no meio de avenidas movimentadas, praticar esportes radicais sem cuidados de segurança ou mesmo fazer sexo sem proteção podem ser formas de buscar emoções fortes.

11)  PENSAMENTOS SUICIDAS: São comuns ideias mórbidas e tentativa de suicídio.

A presença da família é necessária sempre, tanto na prevenção, quanto no tratamento, pois é necessário que haja um suporte, para que se possa atenuar os efeitos de eventos estressantes. O adolescente precisa perceber que conta com o apoio da família para poder vencer a depressão. Existe um grande número de tratamentos para depressão em adolescentes como terapia individual, de grupo, de família e medicação, é recomendável que se discuta com um especialista, qual a opção seria mais aconselhável.

 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”