Familiares se passam por deficiente para não pagar estacionamento

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

É difícil organizar uma sociedade, enquanto as pessoas não se conscientizarem que cada um precisa fazer a sua parte. No caso dos deficientes físicos, temos uma série de problemas na cidade, desde a falta de acessibilidade em órgãos públicos e privados, a falta de critérios para definir cotas no mercado de trabalho, a falta de fiscalização por parte do poder público, para impedir a liberação de obras em desacordo com a lei e, se não bastasse tudo isto, tem a questão comportamental. Muitos familiares se utilizam do cartão de estacionamento livre do deficiente e ocupam vagas indiscriminadamente pelo centro da cidade. A situação é semelhante ao cartão do idoso, onde muitos jovens pegam o comprovante do pai ou do avô e usam descaradamente, para se isentar do tiket do estacionamento, é o velho “jeitinho brasileiro”, que aparentemente a pessoa pensa que está levando vantagem, mas na prática está prejudicando a cidade como um todo, inclusive ela própria.

Pacote do Sartori em debate no Frente e Verso

O programa Frente e Verso, pela Rádio Planalto, neste sábado, terá a presença de dois deputados estaduais, Juliano Roso (PC do B) e Gilberto Capoani (PMDB). O tema será o pacote de ajustes fiscais do Governador Sartori, em pauta, na Assembleia Legislativa. Para muitos o governador está tomando as medidas necessárias para a recuperação financeira do Estado e para outros está abrindo as portas para privatizações e o enfraquecimento do serviço público. O fato é que o RS está mal financeiramente, por isso, algo tem que ser feito, antes que a falência seja total, mas será este o caminho? O debate promete, acompanhe, a partir das 10 horas.

Todos que pediram, ganharam o Bolsa família

O Governo Federal anunciou nesta semana que zerou a fila de espera pelo benefício do Bolsa Família, ou seja, todos que pediram, levaram. Mais 460 mil novos beneficiários foram incluídos nesta semana. Por outro lado, 469 mil benefícios foram cancelados e 654 mil foram bloqueados. São números impressionantes, pois os cancelamentos se devem a pessoas que deixaram a linha da pobreza e os bloqueios se referem a possíveis fraudes no sistema. Mesmo assim, o Governo Federal desembolsa, por mês, R$ 2,4 bilhões, para pagar todos. É muita grana, porém é uma política social que deu certo no Brasil e tem ajudado muitas famílias carentes, por isso, deve sim ser aprimorado, para eliminar falhas, mas ser mantido.

Dizem por aí.... Que a próxima rebelião em presídios vai ser aqui em Passo Fundo. Será verdade?

Leia Também Marta e Maria Curiosidades sobre o Fusca Como fica o Congresso após a aprovação da Reforma da Previdência? Com sapato ou sem sapato