Mudanças acontecem de dentro pra fora

Compartilhe

Segundo BRUNO-FARIA (2000) mudança organizacional é qualquer alteração, planejada ou não, ocorrida na organização, decorrente de fatores internos e/ou externos à organização que traz algum impacto nos resultados e/ou nas relações entre as pessoas no trabalho.

Todo processo de mudança nas empresas requer reestruturações profundas em sua organização, independentemente da área. Há empresa que vive um clima de estabilidade, com muitos funcionários acomodados e com muito tempo de serviço na organização, crescendo na hierarquia funcional, até mesmo sem terem qualificação para isso.

Para que o processo de reestruturação tenha um menor impacto negativo na empresa, e até em seus funcionários, é fundamental que haja um planejamento prévio para a implantação de todos os processos de mudança, de forma transparente.

Para que haja uma verdadeira mudança é preciso que o processo aconteça de dentro para fora, ou seja, a mudança requer que se conheça a razão de mudar, exigindo-se conhecer o que se quer mudar.

A grande dificuldade de mudanças das pessoas inicia já no amanhecer. Praticando os mesmos hábitos.

·                    Quando você acorda de manhã, qual foi a primeira coisa que você faz? Você vai direto para o chuveiro, checou seu Wathzzap, Facebook ou e-mail? Escovou seus dentes antes ou depois do café?

·                    O que você disse para seus filhos antes de sair de casa?

·                    Que caminho você pegou para ir ao trabalho?

·                    Quando você chegou em sua mesa no trabalho, você foi conversar com seus colegas, foi ver seus e-mail?

·                    Quando chega em casa qual a sua rotina?

Tente mudar seus hábitos, mudando sua rotina, seu caminho, o período entre o caminho e a transição, onde se move daquilo que é familiar para o desconhecido.

Portanto, o funcionário resiste à mudança porque sente medo do desconhecido e não quer sair da sua zona de conforto.

Sempre que há um processo de mudança, as pessoas necessitam de um tempo de adaptação, pois toda mudança envolve algum tipo de perda, sendo comum enxergá-la como sendo um perigo ou ameaça.

Por fim, cabe aos dirigentes ou líderes organizar e gerenciar o processo de mudança para que suas possíveis perdas ou ameaças sejam minimizadas, sendo mostrado aos envolvidos seu lado positivo - novo aprendizado, novas experiências.

Leia Também Alimentação durante o tratamento da infecção urinária Estado falha e municípios pagam a conta da saúde O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade