6º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Felizes aqueles cuja vida é pura, e seguem a Lei do Senhor. Salmo 118(119),1
Neste final de semana Jesus nos alerta sobre o seguimento e o cumprimento dos mandamentos da Lei do Senhor.
A primeira leitura do livro do Eclesiástico 15, 16-21 nos esclarece a total liberdade que o Senhor Deus concede aos homens. Coloca diante de todos o bem e o mal para escolher livremente o que deseja seguir. 
A segunda leitura do apóstolo Paulo a comunidade de 1Corintios 2,6-10 diz:"Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o  coração humano imaginou, tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que O amam."
O Santo Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Mateus 5,17-37 nos mostra que os doutores da Lei, como pessoas sábias e pertencendo a elite da sociedade de Roma, estavam interessados em manter a estrutura social injusta e não em ajudar o povo. Entretanto, Jesus exige justiça e retidão, dizendo: "Se a justiça de vocês não superar a justiça dos doutores da lei e fariseus, vocês não entrarão no Reino dos Céus." Sabemos que Jesus não queria abolir a lei de Moisés, mas quer e espera de sua comunidade qualidade em relação as exigências destas leis. Uma justiça acompanhada de  misericórdia e fé. Uma justiça que seja capaz de transformar as relações humanas. O amor sem limites a Deus e aos irmãos. 
Que o Senhor nos ensine a cumprir os seus mandamentos, que Ele purifique nossos olhos e nossas atitudes.
Como sentimos o mundo de hoje? Em todos os momentos do dia tomamos conhecimento e nos deparamos, incrédulos, diante de tantas  injustiças que são cometidas em nome do poder insano, injusto e devastador. Que a coragem e a perseverança daqueles que lutam pelo Reino de Deus, não esmoreça jamais. 
Que o bom, amoroso, misericordioso e paciente Deus abençoe a todos nós.


ACOMPANHE A MENSAGEM DO DIÁCONO JOULE CUNHA SANTOS, NO PROGRAMA JUNTOS COMO IRMÃOS, DA RÁDIO PLANALTO!

Leia Também 3º Domingo do Tempo Comum. Que seja feita justiça no caso “Lula” “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade