Ser magro ou gordo x Ser saudável ou doente. Será?

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Observando uma matéria divulgada nas redes sociais, sobre um grupo de mulheres que estão acima do peso que se reuniram na praia para um encontro, vi inúmeras críticas sobre isso.

Pois então coloco aqui minha visão sobre isso.

Essas mulheres marcaram uma integração para frequentarem o mesmo local que para elas é desconfortável simplesmente por expor diretamente o seu corpo o que é motivo de desconforto. Que atire a primeira pedra quem nunca foi à praia e ficou procurando nas barracas ao lado pessoas com mais barriga, mais celulite, mais gordinha que você para que se sentisse mais confortável?

Então, elas marcaram esse encontro onde todas estão gordinhas e pelo menos uma vez se sentiram confortáveis, pois todas ali são iguais.

A questão é, será que todas essas gordinhas são doentes e os magros frequentadores da praia todos são saudáveis?

 Sabemos sim, que a obesidade tem causas multifatoriais e que representa inúmeras doenças, mas já vi muito, na minha vida profissional, magrinhos com muito mais problemas de saúde do que muitos gordinhos.

A questão que eu encaro como fator principal, é lógico que seria interessante que elas buscassem o emagrecimento e qualidade de vida, mas criticar é muito fácil, o que não é enxergado como sendo o lado do outro que também sabemos todas as dificuldades implicadas no emagrecimento. Se fosse tão fácil emagrecer a obesidade não estava na proporção em que está, existem os fatores comportamentais, ambientais, psicológicos, genéticos, enfim vários fatores que dificultam para que isso aconteça. Nem todos conseguem ter a persistência e alcançar esse resultado, assim como não é fácil parar de fumar, beber, entre outros.

Acredito que tais críticas só podem ainda mais prejudicar o tratamento dessas pessoas e ainda aumentar o preconceito. Não estou fazendo apologia à obesidade, pelo contrário. Estou tentando entender o porquê essas pessoas não poder ter espaço num local aonde todos vão e também na sua maioria se sentem desconfortáveis. A cultura ao corpo chegou a tal modo que muitas pessoas fazem qualquer coisa para ter seu corpo “sarado”.

Magreza nem sempre é sinal de saúde. Quantos magros sedentários? Quantos magros usando moderador de apetite? Quantos magros usando ansiolíticos?  E quantos magros também se sentem desconfortáveis com seu corpo?

É evidente que o excesso de peso é  um problema, mas o que deve ser levado é o estilo de vida como um todo.

Uma alimentação saudável equilibrada em nutrientes, exercícios físicos e o controle emocional certamente tornam uma pessoa mais saudável, enquanto o preconceito, esse sim é sempre um sinônimo de doença.

 

Leia Também Ministério da Saúde libera recursos para o Qualifar-SUS Alimentos ricos em Potássio Nossa Senhora da Conceição Advento: Esperar com esperança