Temer: "ministro denunciado será afastado temporariamente"

Compartilhe

Em pronunciamento feito nesta segunda-feira (13), no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer afirmou que vai afastar do governo qualquer ministro que for denunciado na Operação Lava Jato.

"Se houver denúncia, o que significa um conjunto de provas eventualmente que possam conduzir a seu acolhimento, o ministro que estiver denunciado será afastado provisoriamente. Depois, se acolhida a denúncia e aí sim a pessoa, no caso o ministro, se transforme em réu - estou mencionando os casos da Lava Jato -, se transformando em réu, o afastamento é definitivo", disse Temer, que não abriu espaço para pergunta de jornalistas.

O presidente ressaltou também que governo não tem intenção de interferir na Lava Jato.

"Quero anunciar em caráter definitivo e talvez pela enésima vez que o governo jamais poderá interferir nessa matéria, que corre por conta da Polícia Federal inauguralmente, do Ministério Público e do Judiciário. O governo não quer blindar ninguém e não vai blindar", afirmou Temer.

Greve

Temer informou ainda que a Casa Civil está finalizando um projeto de lei que vai regulamentar o direito à greve no caso de serviços considerados essenciais. Segundo o presidente, essa regulamentação nada tem a ver com o caso da paralisação de policiais no Espírito Santo, uma vez que, nesse caso, já há uma lei proibindo greves de policiais.

Fonte: Jornal do Brasil



Leia Também Encontrado avião que desapareceu com piloto, mulher e filho no MT Água Santa realiza Seminário Regional do Leite Julgamento de Lula foi marcado para o dia 24 de janeiro Sai o calendário de pagamento do IPTU de Passo Fundo