Escolha profissional na adolescência

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

Os nossos jovens, que com 16/17 anos, que nem saíram da adolescência, precisam tomar a decisão de escolher que profissão irão exercer e ainda pensar em seu futuro. Acabam sendo pressionados pelos pais, pela família e até pelo grupo de amigos, em saberem e terem a convicção em que profissão desejam exercer.

Os pais tem uma função primordial, quanto a escolha profissional dos filhos. É essencial que respeitem os interesses de seus filhos, para que possam optar pela profissão que realmente desejam seguir, independente de questões financeiras ou de tradição familiar.

É importante se observar algumas dicas: conheça as profissões que mais lhe atraem e acompanhe de perto alguns profissionais em seu dia-a-dia de trabalho; cuidado com a sedução de profissões do momento; em se falar em remuneração, reflita. Quanto mais o profissional estiver motivado, mais chances de crescer na carreira; não tenha pressa: se for preciso, pare um determinado tempo para refletir, é melhor do que uma vida toda trabalhando no que não lhe satisfaz; ler e pesquisar sobre todas as possibilidades dentro de uma profissão também é de suma importância para a escolha; cuidado também para não escolher a profissão, baseado em sonhos, a realidade do mercado de trabalho é bem diferente.

Recomenda-se que caso a escolha já tenha sido feita e esta não seja mais atraente, nunca é tarde para mudar e tomar novos rumos. Para os mais indecisos e que não conseguiram encontrar a vocação, um psicólogo poderá prestar esta orientação.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”