Cia da Cidade se apresenta no Rio de Janeiro

Compartilhe
Marrom – Nem preto, nem branco? conta a história de uma menina que busca entender sua real identidade na sociedade. Idealizada por Piéterson Duderstadt e Vilma Melo e escrita por Renata Mizrahi, a peça fala sobre diferenças numa narrativa divertida. Espetáculo está concorrendo ao 3º Prêmio CBTIJ de Teatro nas categorias Melhor Atriz, Melhor Autor, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Operador de Luz, também foi indicado ao 5º Prêmio Botequim Cultural nas categorias Melhor Texto e Melhor Atriz

O espetáculo Marrom – Nem preto, nem branco? relata a história de Linda, uma menina de oito anos que não entende o conceito de raça, só de cor, e acaba se definindo como marrom. Ela busca entender a sua real identidade, já que não tem a cor do pai, nem da mãe, e o porquê da sociedade tratá-la diferente. Com texto de Renata Mizrahi e direção de Marcelo Alonso Neves, peça reestreia no Teatro Ipanema no dia 22 de janeiro. A temporada será aos sábados e domingos, às 16h, até 19 de fevereiro.

Inspirada em Lorena de Melo Schaefer, a peça foi idealizada por Piéterson Duderstadt e pela atriz Vilma Melo. Linda, tal qual na realidade, é filha de pai branco alemão e mãe negra brasileira. A jovem, então, é a fusão desse encontro entre duas pessoas com referências culturais e familiares distintos. Como não era branca como o pai, nem negra como a mãe, ela se definiu como marrom. Com uma narrativa divertida, ela enfrenta tudo com muito humor, personalidade e música, para fazer pessoas de todas as idades refletirem sobre a pluralidade cultural que existe ao nosso redor.

Seu sentimento de deslocamento se aflora e ela entra em crise após um trabalho sugerido na aula de alemão sobre contos de fada e sua amiguinha (branca, loira e com olhos azuis) considerar que a princesa tinha que ser ela, e não Linda, estereotipada pela menina. Após vivenciar episódios desconcertantes, Linda foge dos seus conflitos, em busca de um mundo onde todos sejam iguais a ela. Como toda fuga, muitas aventuras a aguardam.

Marrom – Nem preto, nem branco? chega para quebrar barreiras sociais e culturais e evidencia sobre até onde são reproduzidos, sem reflexão, discursos que abalam a mágica de cada um ser diferente do outro. O mote central da peça é trazer o conceito dos considerados “desencaixados” na sociedade de um modo geral (negro, mulher, homossexuais, entre outros) e não o preconceito em si. A montagem é resultado do encontro dos integrantes da Cia da Cidade – Piéterson Duderstadt, Naiara Cavalheiro, Maycon Marcondes e Pedro Almeida – com a atriz e produtora Vilma Melo. A peça é o primeiro trabalho que a Cia estreia no Rio de Janeiro.  

O ano de 2016 foi marcante para a carreira de Vilma Melo. Além das quatro indicações ao Prêmio CBTIJ, a atriz recebeu o Prêmio Cenym de melhor atriz coadjuvante pela atuação em Amargo Fruto, a vida de Billie Holiday. Em agosto, estreou Chica da Silva, o musical direção de Gilberto Grawronski, e está concorrendo em duas categorias: melhor atriz no Prêmio Shell e melhor atriz em musical nos prêmios Cesgranrio e Botequim Cultural.

SINOPSE – Peça livremente inspirada na menina Lorena de Melo Schaefer, conta a história de Linda, uma menina que não entende o conceito de raça, só de cor. Filha de pai alemão e mãe negra, ela se acha marrom. Após inúmeras situações que apontam as desigualdades, ela decide fugir em busca de um lugar onde todos são iguais.

A PRODUTORA – CIA DA CIDADE

A Cia da Cidade Produtora tem mais de dez anos de história e é reconhecida no Brasil como uma das mais capacitadas companhias artísticas e de eventos especializada em Teatro e performances de Circo Novo. A produtora localiza-se em Passo Fundo (RS) e no Rio de Janeiro (RJ). A Cia conquistou inúmeros prêmios no Brasil e na América Latina.

Com mais de 13 espetáculos em repertório, estão entre eles: Diário de um Bonitão, direção Sergio Machado; Onde O Diabo Perdeu as Botas, direção Edson Bueno; Mansão do Terror, direção Edson Bueno e Piéterson Duderstadt; Natal dos Sonhos, musical circense, direção Piéterson Duderstadt; Canalhas, direção Edson Bueno e Brasil em Cores e O Vendedor de sonhos – Musical.


FICHA TÉCNICA

Texto: Renata Mizrahi

Direção: Marcelo Alonso Neves

Direção de Movimento e Assistente de direção: Ana Paula Bouzas

Elenco: Vilma Melo, Maycon Marcondes, Ana Paula Black, Guilherme Miranda e Maíra Kestenberg

Iluminação: Binho Schaefer

Direção Musical: Marcelo Alonso Neves

Cenógrafo e Figurinista : Carlos Alberto Nunes

Cenógrafa e Figurinista Assistente: Arlete Rua

Confecção de Cenário: Marco Souza e Patricia Rodrigues

Pintura de Arte: Derô Martin

Confecção de Figurinos: Kátia Salles, Suely Gherard e Nilssy Maldonado

Programação Visual: Alexandre Muner

Fotografia: Arthur Vianna

Direção de Produção: Piéterson Duderstadt

Elaboração de Projeto: Janaína Santos, Piéterson Duderstadt e Vilma Melo

Gestão Administrativa e Financeira: Pedro Almeida e Naiara Cavalheiro

Equipe de Produção: Piéterson Duderstadt, Naiara Cavalheiro, Maycon Marcondes e Vilma Melo

Idealização: Piéterson Duderstadt e Vilma Melo

Realização: Cia da Cidade



Leia Também Quiosque de Leitura: novas cores para ler Capes aponta crescimento da pós-graduação na UPF VovôVoice começa nesta terça em Passo Fundo Aberto o Danzpare Brasil 2017