7º Domingo do Tempo Comum

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Antes de iniciar o relato da liturgia deste final de semana, desejo lembrar que estamos no Ano Mariano. Assim sendo, convido a todos que se coloquem a par do que se pretende celebrar: os 100 anos da aparição de Nossa Senhora, sua mensagem e o que isso nos leva a refletir nos dias de hoje. Vamos conhecer um pouco mais sobre nossa Mãe Maria e do seu carinho e cuidados por todos nós.
"Bendize, ó minha alma, o Senhor, Salmo 102(103), 1a.
A primeira leitura do livro do Levítico 18,1-2.17-18 nos convida, já no AT a por em prática as advertências que o Senhor fez a Moisés, ou seja, que devemos exercer a santidade, o amor para com o Senhor e ao próximo como a nós mesmos.
A segunda leitura do Apóstolo Paulo à comunidade de 1Corintios 3,16-23 nos lembra que somos Templos de Deus. Na certeza que o Senhor habita em nós devemos ser sábios e saber que somos de Cristo, o Cristo de Deus. Somos sagrados, portanto.
O Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Mateus (liturgicamente estamos no A e os relatos dos evangelhos quem nos faz é o evangelista Mateus). Neste final de semana Mateus nos relata o capítulo 5,38-48, onde Jesus apresenta algumas exigências para quem deseja fazer parte de sua comunidade. Afirma que a lei do Reino de Deus é a lei do amor, do perdão e da misericórdia. Quando somos agredidos nunca usar das mesmas armas para revidar. Durante sua paixão, Jesus levou um tapa de um guarda. Foi, com certeza, uma bofetada injusta. Jesus não reagiu com violência, mas perguntou: "Por que você está me batendo"? Jesus não colaborou com a violência, mas deixou o seu agressor refletindo sobre o seu ato.  Os mandamentos (que lembramos na liturgia de domingo passado) são leis inscritas em nosso coração e é pela ação dele que conseguimos perdoar. Penso que esta é uma atitude muito difícil, quando sofremos injúrias. Se o nosso modelo é Jesus Cristo, poderemos perguntar: "O que Jesus faria em meu lugar? Qual seria sua reação?"
-Bom domingo na paz do Senhor. 
Salve Maria Santíssima.

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!