Passo Fundo: pelo menos uma década sem deputado federal

Postado por: João Altair da Silva

Compartilhe

        O deputado federal  Assis Mello, esteve em Passo Fundo nessa segunda-feira (20). Acompanhado do deputado Juliano Roso,  veio participar da inauguração de um ginásio de esportes no Bairro Manoel  Corralo, que ajudou a construir com emendas que propôs em Brasília. Outros recursos destinados pelo gabinete do parlamentar servirão para construir campos esportivos numa Cohab e no Valinho. No total, são quase R$500 mil.

      Passo Fundo está na dependência dos deputados de fora. Não tem deputado federal. Conta com deputados estaduais, mas o Estado não consegue nem ao menos pagar seus funcionários. Nossa representação em Brasília desapareceu com o fim do ciclo legislativo de Dipp e Beto.  Para piorar,  no horizonte não se vislumbra uma solução. Quais são os nomes de políticos locais capazes de disputar, com chance de eleição, uma vaga na Câmara Federal no ano que vem?  Provavelmente, Passo Fundo levará mais seis anos pelo menos para ter alguma chance real de vitória, caso o prefeito Luciano Azevedo continue surfando nas mesmas ondas da eleição do ano passado.  É bom lembrar que desde 2014, não temos um deputado federal. O município aguardará pelo menos uma década sem representante. Carazinho, que tem menos da metade da nossa população conta com dois deputados federais eleitos, Márcio Biolchi e Ronaldo Nogueira.  Outros deputados federais também têm destinado recursos para Passo Fundo. A liderança dos vereadores locais será importante nessas demandas com seus deputados.

    Nesse sistema atual, o deputado é quase um prefeito. Ele tem R$15 milhões por ano em emendas que pode destinar para o município que quiser. É dinheiro que muitos municípios pequenos não conseguem arrecadar durante o ano. Essa é a falta que o deputado faz. 

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito