Seja milionário!

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe

A organização financeira de uma pessoa ou família passa por momentos tensos, por vezes tranquilos e, em certas oportunidades, ameaçadores e necessitados de ações drásticas e pontuais. Ou, como diz o jargão popular: “precisa apertar o cinto”. Estamos em tempos de “aperto do cinto”, ainda mais forte do que o que se costuma fazer rotineiramente.

A sabedoria popular novamente nos ensina: “quem ganha muito pode gastar mais, quem ganha pouco gaste menos”. Não se trata de comparação entre desigualdades ou quem pode ou não gastar, mas de contribuir com a própria organização pessoal e, também prevenir sustos futuros.

As dificuldades que o país atravessa atualmente, segundo análises isentas e equilibras, podia ter sido evitada com certos cuidados administrativos e controle dos gastos públicos. Em que pese as demais causas, a realidade está ali e vivemos um constrangimento nacional com repercussões imediatas em todos os campos da nossa vida, especialmente o individual.

A falta de cuidado e o planejamento levam a derrotas avassaladoras. A “indústria do vale” no Brasil, acompanhada dos empréstimos consignados, do crediário de longo prazo, cartões de crédito sem controle e do hábito de alguns não pagarem as contas no prazo previsto, conduz à divisão familiar, bebedeiras, violência, rompimento de amizades e prejuízos sem limites, tanto em nível pessoal quanto social.

Na leitura desses livros obrigatórios, tirei uma lição vital que pode mudar a vida das pessoas, especialmente daquelas habituadas a vales, pagamentos atrasados e mau uso das facilidades (enganadoras) do crédito: “Se você ganha dez e gasta onze, você um derrotado, mas se você ganha dez e gasta nove, você é um milionário”.

Esse texto é um convite para que as pessoas avaliem seus hábitos, especialmente o vale e a dívidas sem planos. Se as crises passam, como se diz, elas também retornam. Logo, os habituados à falta de cuidado sofrem mais.

Observe os outros como agem e veja como se organizam, mas especialmente olhe pra você e pense no seu futuro. Quer ser um endividado contínuo? Mude os vales e seu dinheiro valerá mais.



Leia Também O "arrastão" agora é da polícia! A vez de o Grêmio ser prejudicado Série Prata: de sétimo para o segundo lugar! O desenvolvimento natural: a contribuição de Jean-Jacques Rousseau