A saída de Paulo Porto

Postado por: Cristian Queiroz

Compartilhe

Não sei o que de fato aconteceu para que o Paulo Porto deixasse o comando do Passo Fundo. Inclusive fui pego de surpresa na tarde deste domingo, 27, quando recebi a informação de que ele, em comum acordo com a direção do clube, estava saindo.

Sem saber do real motivo, acho um equívoco a sua saída. Sempre disse aqui que o acho um grande técnico, com muita capacidade. Os treinos técnicos que assisti foram sempre muito interessantes e organizados. Junto com o Alessandro Telles formam uma dupla afinada com muito conhecimento sobre futebol.

Acho um equívoco porque acredito que tínhamos um bom trabalho no Vermelhão. Os resultados, olhando isoladamente para eles, não são bons, mas com uma análise um pouco mais aprofundada da tabela a gente percebe que os resultados não são tão ruins assim. De cinco jogos o Passo Fundo jogou três fora e apenas dois em casa, destes um contra o Internacional. Os jogos fora foram contra Ypiranga, Grêmio e Juventude. Perder para o Grêmio na Arena não é nada de anormal, tem time do Rio Grande do Sul que já tomou cinco. Perder para o Juventude no Jaconi também não considero uma tragédia, e em Erechim o Passo Fundo ganhou. Em casa empatou com o Colorado e perdeu para o São Paulo. Esse sim foi o problema até aqui. Sábado passado, em Caxias, o Passo Fundo perdeu muitos gols, poderia ter vencido a partida, mas acabou perdendo. Faz parte, é do jogo, contra o Inter a bola do Passo Fundo entrou no último minuto, em Caxias ela não entrou e veio a derrota. Mas repito, perder para o Juventude em Caxias não é tragédia.

Na próxima rodada o Passo Fundo enfrenta o líder do campeonato. O Novo Hamburgo, que é 100% na competição, e mais uma vez fora de casa. Nas seis primeiras rodadas são duas em casa e quatro fora. O Passo Fundo é o único time do Noveletão que até aqui tem uma sequência de dois jogos fora, um em casa e mais dois fora. E esse em casa foi contra o Internacional. Por tudo isso eu não vejo a campanha como ruim, mesmo com essa tabela extremamente prejudicial o Passo Fundo segue fora da zona de rebaixamento e apenas um ponto atrás da zona de classificação.

Agora é vida que segue, aguardamos quem virá para ser o novo técnico do Passo Fundo. Parece-me que o pior já passou, os enfrentamentos daqui pra frente são mais iguais, com mais jogos em casa. Oremos que essa oxigenação no vestiário tricolor traga bons frutos para os lados da São Cristóvão.

Deixo aqui o meu respeito ao Paulo Porto e sua comissão técnica que sempre foram muito cordiais e solícitos com a imprensa. 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”