Um bobo muito vivo!

Postado por: Marcel Van Hattem

Compartilhe

Um bobo muito vivo!

Em depoimento à Justiça Eleitoral, Marcelo Odebrecht detalhou que tinha contato frequente com o alto escalão do governo – como o ex-ministro da Fazenda de Dilma Rousseff, com quem negociava repasses eleitorais. Disse que se sentia o “bobo da corte” do governo federal. Um bobo muito vivo, isso sim. Na verdade, Marcelo Odebrecht, o PT e toda a quadrilha que roubou o Brasil, de bobos não têm nada.

O ex-presidente da empreiteira foi ouvido na quarta-feira (1) pelo ministro Herman Benjamin, relator da ação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral e investiga a chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer na campanha eleitoral de 2014. Em seu depoimento, inclusive, Marcelo Odebrecht pôs por terra os mantras petistas de que Lula não sabia de nada ou de que Dilma não é corrupta. A situação da chapa Dilma-Temer é cada vez mais delicada e, fosse o Brasil um país em que o Estado de Direito, as leis e honra individual tivessem mais valor, novas eleições já teriam sido realizadas há muito tempo.

O maior problema é que o número de envolvidos nas maracutaias petistas e aliadas (inclusive de gente de dentro do PMDB, PSDB, PP e por aí afora...) é tão avassalador que ninguém tem coragem de largar a teta em que está agarrado. O certo seria uma renúncia coletiva de todos os políticos no país, como já defendi ainda em 2015 no meu primeiro ano de mandato, e a realização de novas eleições gerais. Como esta opção não está na mesa, resta-nos apoiar sem trégua as investigações da Lava Jato e as ações da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Poder Judiciário. Caso contrário, os verdadeiros bobos da corte seremos, mais uma vez, todos nós.

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018