Do planejamento à ação

Postado por: Jéssica Limberger

Compartilhe


Grande parte das conquistas que temos hoje tem a ver com um sonho que tivemos. Para alcançar esse sonho, muitos planos são feitos e servem como um mapa que vai guiando os caminhos a serem percorridos. Entretanto, por qual razão muitos planos não saem do papel? Como começar a planejar e executar tais planos? 

Lembre-se da última situação em que desistiu de algo ou deixou de seguir os seus planos. Talvez você estivesse com preguiça, desmotivado, com medo de ser julgado ou, quem sabe, almejava uma perfeição tão grande, que acabou desistindo de seus planos. Assim, um primeiro passo na execução dos nossos planos é justamente identificar as razões pelas quais deixamos nossos sonhos guardados na gaveta. 

Após identificar as razões, podemos nos questionar sobre a maneira como planejamos. Você acredita que para muitas pessoas o próprio ato de planejar as impede de atingir os objetivos? Explico melhor: muitas pessoas se dedicam tanto ao planejamento, acreditam tanto na importância de pensar, planejar e imaginar cada detalhe, que acabam se perdendo no mundo das ideias. É como se planejar e imaginar trouxesse mais segurança, justamente pelo receio de sofrer com o inesperado. Entretanto, será que é possível evitar tudo isso? 

Acontece que a vida é muito mais do que um plano a ser seguido, e essa é justamente a sua beleza. Os imprevistos sempre fizeram e sempre farão parte da vida. Ora, isto não significa que, já que existem imprevistos, não é necessário planejar. Muito pelo contrário, se há um objetivo a ser alcançado, então o planejamento deve considerar os imprevistos, sendo possível reorganizar-se diante de uma mudança.

Um importante passo para colocar os planos em ação é justamente praticá-los aos poucos. Isso pode parecer simples e óbvio, mas é o grande desafio. Dessa forma, quando pretende-se alcançar um objetivo, escreva-o em um papel, torne-o palpável. Identifique por quê alcançar aquele objetivo lhe traz motivação. Com isso, comece a definir como pretende alcançar esse objetivo e continue a escrever, sabendo que algumas das etapas do seu plano podem ser modificadas no decorrer do caminho. 

A ideia de colocar os planos no papel também facilita a visualização das etapas. Ao invés de ficar com apenas aquele objetivo gigante nas costas, experimente descrever as pequenas ações que você fará para alcançar a sua meta. Assim, em vez de ter apenas um objetivo gigantesco, você terá várias tarefas menores, as quais vai concluindo de acordo com as suas necessidades e possibilidades. 

Talvez esteja se perguntado: "será que preciso escrever mesmo?", "e se eu quiser ficar com o plano na minha cabeça, e não no papel?". Pois bem, a escolha é sua. Acontece que quando escrevemos, avançamos do mundo das ideias para o mundo das ações. E quando se trata de alcançar objetivos, a meta é justamente essa: que os planos saiam da mente, vão para o papel e sigam para a prática. 

Saber planejar é tão importante quanto lidar com os imprevistos que podem ocorrer no caminho. É por isso que ser flexível trará benefícios na sua caminhada, analisando a situação de diferentes maneiras, sem ficar preso a uma ideia específica. Planejamento tem a ver com mudança e movimento: é um processo e não um fim.

 

Leia Também As armadilhas da Reforma Trabalhista O direito de não aceitar! Identidade Prefeito Luciano, concorra a deputado federal !