Violência psicológica

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

A violência psicológica é algo que deve ser observado com grande atenção, segundo a Organização Mundial da Saúde, entende que qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.

É muito comum a vítima procurar esconder e não procurar ajuda externa, por vergonha. Acaba aceitando esta condição e justificando muitas vezes as atitudes do agressor.

Vários fatos e comportamentos podem vir a serem geradores de uma violência psicológica tais como: querer determinar o jeito de como ela se veste, pensa, come ou se expressa; critica qualquer coisa que ela faça; desqualifica as relações afetivas dela (amigos, família); xinga de “vadia”, “imprestável”, “retardada”, “vagabunda”; exposição dela em público; faz críticas quanto a sua estrutura física.

Mortes e hematomas não são as únicas consequências que a violência psicológica pode vir a gerar. Um comentário pejorativo poderá agredir a autoestima, tornando a mulher perdida na dependência emocional e ficar sem pretensões em vislumbrar um futuro melhor.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”