Pequena parcela de trabalhadores prejudica uma parcela muito maior

Compartilhe

Mais uma vez os ônibus pararam em Passo Fundo. Sou contra este tipo de manifestação, mas pior que isso, ainda sacanearem a maior parcela de trabalhadores, que dependem do transporte, em fazer a paralisação sem avisar. Afinal, qual o objetivo de querer pegar de surpresa a população? Para ferrar com todo mundo mesmo? Querem parar, parem, mas qual a dificuldade de avisar para quem precisa do serviço ter chance de se programar de outra forma? Muitos empregos estão em risco e se alguém for para a rua, por faltar serviço, como fica? Só olham para o seu umbigo. Alguns, que lideram a categoria, até passaram a informação contrária, que não haveria paralisação, muita falsidade, além é claro de falta de criatividade e inteligência para organizar uma mobilização.
Corrigindo uma informação errada
Num blog anterior, quando cometei sobre o Plano Diretor e rebaixamento do meio fio para estacionamentos, em frente de estabelecimentos comerciais, eu disse que o proprietário poderia utilizar até 50% como estacionamento privativo, mas relendo a lei me dei conta do engado. Na verdade o que o proprietário pode é rebaixar até 50%, mas o estacionamento de forma alguma pode ser privativo, ou seja, qualquer pessoa pode estacionar o seu carro no espaço, sendo ou não cliente da loja. A democracia é assim e a cidade é de todos, por isso aplausos para a lei. Muitas pessoas, tanto motoristas, como empresários, desconhecem que é assim que a lei estabelece e frequentemente desentendimentos acontecem em virtude da falta de informação.
Vamos manter a torcida pelo Passo Fundo até o final
No momento tudo indica que o ECPF é um dos times que irão cair neste campeonato. Sucessivos erros e falta de planejamento, desde o início, quando na primeira rodada corria o risco até a última hora de, sequer ter 11 jogadores devidamente inscritos para entrar em campo contra o São Paulo de Rio Grande, o resultado disso foi uma estreia com derrota em casa, para um time ruim. Com certeza a intranquilidade e a preocupação afetou o psicológico dos jogadores. A recente troca de treinador foi uma tentativa que se mostrou equivocada, os pênaltis errados, a falta de garra de muitos jogadores, mas agora não adianta lamentar, tem que somar todas as forças, incentivar a equipe, e honrar a história do clube e da cidade. O apoio do torcedor tem que ser ainda maior até o ultimo minuto, afinal, será muito triste se cairmos, eu diria até que coloca em risco o futuro do futebol em Passo Fundo.
O Governo Sartori está sendo ruim para o estado como um todo ou somente para os servidores púbicos?
Desde que assumiu o governador Sartori, conforme havia dito, na campanha, tem adotado medidas antipáticas ao público,reduzindo investimentos, com a justificativa de tirar o estado da crise financeira. Nesta esteira os servidores tiveram salários atrasados e parcelados, mas os números mostram que a dívida do Rio Grande do Sul vem diminuindo, em comparação aquela deixada pelo governo anterior. O fato é que a população está sofrendo com a precariedade do estado nas principais áreas como educação, saúde e segurança. Vale a pena passar por estas dificuldades agora para recuperar as finanças do Estado ou cada governo deve pensar somente no seu período? Este será o tema do programa Frente e Verso, deste sábado, a partir das 10 hs, na Rádio Planalto. Participe!

Dizem por aí... Que se os professores estaduais e municipais receberem o salário dos sonhos irá acabar os atestados por depressão. Será verdade?

Leia Também Pentecostes Semana de Oração pela Unidade Cristã Jovens ainda escolhem ser professoras É preciso afiar o machado