Projeto Água em Foco chega à 3ª edição

Compartilhe
Entre a inquietude tradicional da pré-adolescência e a atenção  dedicada aos dados históricos, informações atuais e fotografias  capazes de apresentar o cenário da água não só na cidade, mas em todo  o país, os 45 alunos das duas turmas de 8º ano da Escola Municipal de  Ensino Fundamental Zeferino Demétrio Costi deram início, na tarde  dessa quarta-feira, 22, Dia Mundial da Água -, à 3ª edição do projeto 
"Água em Foco: em busca da preservação dos recursos hídricos",  desenvolvido pelo Comitê Rio Passo Fundo e que concentra esforços na  educação ambiental de crianças e adolescentes ao explorar diferentes  aspectos do meio ambiente. O resultado do projeto, que alia a teoria à  prática, será apresentado à comunidade em um livro lançado no final do 
ano.

O projeto, que é desenvolvido desde o ano de 2015 e já envolveu o  Instituto Menino Deus e o Colégio Bom Conselho, se renova e, agora,  chega à educação municipal através da escola Zeferino. Envolvendo os  alunos em atividades mensais que seguem até julho e abordam temáticas  como solo, meio ambiente, biodiversidade e mata ciliar e sua relação 
com a água. Ao todo, serão cinco encontros e, ao final de cada um  deles, os alunos serão desafiados a produzir alguma atividade: textos,  desenhos, histórias em quadrinhos, propagandas, colagens e fotografias  serão produzidas e, ao fim do projeto, serão reunidos no livro que  leva o mesmo nome do projeto que iniciou abordando a situação atual 
dos recursos hídricos e o papel de um Comitê na gestão das águas. Para  Claudir Luiz Alves, presidente do Comitê Rio Passo Fundo, o projeto é  uma ferramenta importante na educação ambiental eficaz na cidade. 
"Esse projeto tem a proposta de sensibilizar a comunidade escolar a  respeito da realidade dos recursos hídricos e, ainda, do meio ambiente  da região. Temos que nos preocupar com a natureza. Se pararmos para  pensar, o rio ou o meio ambiente, em si, pode estar em más  condições justamente porque não cuidamos. É válido lembrar que não é  culpa do "outro", mas, sim, nossa culpa. Eu devo me responsabilizar",  destaca relembrando que a proposta é, também, fazer os estudantes 
sentirem-se responsáveis pelo cenário ambiental.
Os alunos, além de assistir uma explanação sobre o cenário mundial da  água, participaram de uma atividade que elucidou, na prática, a gestão  da água realizada por um Comitê de Bacia. Para Maria Luiza Concolatto,  de 13 anos, a experiência é a oportunidade de pensar na preservação. 
A próxima atividade, marcada para abril, irá explorar os diferentes  tipos de solo e como se relacionam com a água, em alusão ao Dia da  Conservação do Solo, comemorado na data.

--
Sammara Garbelotto
Assessoria de Imprensa

Leia Também Mais de uma tonelada de resíduos retirados do rio Passo Fundo Passo Fundo recebe oficina do ZEE Período chuvoso requer atenção com animais peçonhentos FRENTE A FRENTE: Ari conversa com o Secretário do Meio Ambiente, Rubens Astolfi