Entre conhecidos e amigos: como estão suas relações sociais?

Postado por: Jéssica Limberger

Compartilhe

No decorrer da vida, conhecemos diferentes pessoas nos mais diversos lugares. Podemos olhar à nossa volta: desde os colegas de aula e de trabalho, até aqueles conhecidos que se transformam em amigos, percebemos que os relacionamentos fazem parte do nosso dia a dia.

As pessoas que consideramos nossas conhecidas são aquelas que convivemos por um determinado período de tempo, muitas vezes por interesses em comum. Neste caso, o relacionamento se volta à execução de uma tarefa, como no trabalho, ou na soma de esforços para atingir um objetivo em comum, como em um trabalho em grupo na faculdade, por exemplo.

A amizade, por sua vez, vai além dos interesses em comum. A amizade tem a ver com a afinidade e implica em troca, em compartilhar planos e experiências de vida, dividindo momentos felizes e tristes. Dessa forma, a amizade repercute em envolvimento e sentimento, em um processo de confiança mútua.

Tanto no relacionamento com os amigos como com os conhecidos, há algo em comum que necessitamos constantemente exercitar: nossas habilidades sociais. Essas habilidades têm a ver com a maneira como expressamos o que estamos sentindo, em como defendemos os nossos direitos e como expressamos nossas necessidades às pessoas. Assim, a forma como nos relacionamos impacta na maneira como vivemos e, consequentemente, na nossa qualidade de vida.

Considerando que na maior parte do nosso tempo estamos interagindo com outras pessoas, exercitar nossas habilidades sociais de maneira satisfatória contribui para que tenhamos uma visão positiva sobre as relações que estabelecemos. Além disso, no contexto do trabalho, a maneira como nos relacionamos com as pessoas também faz toda a diferença. Habilidades como dizer não, fazer e receber críticas, expressar desagrado, fazer e receber elogios, podem ser difíceis de serem executadas para algumas pessoas, mas praticá-las contribui em relações satisfatórias e evita problemas futuros.

Se estivermos em relacionamentos em que temos dificuldade de dizer não às pessoas, de demonstrar o que estamos sentindo, provavelmente estaremos deixando que as necessidades dos outros estejam se sobrepondo às nossas. Por outro lado, se vemos apenas as nossas necessidades e não percebemos as necessidades dos nossos amigos ou conhecidos, talvez isso esteja dificultando os relacionamentos. Assim, é importante que estejamos atentos às nossas habilidades sociais.

Quanto mais compreendermos como estão nossas relações sociais e como agimos nas diferentes situações, melhor poderemos identificar quais habilidades sociais podem ser desenvolvidas ou aprimoradas. Dificuldades em iniciar uma conversa, por exemplo, podem ocorrer com muitas pessoas. Entretanto, é necessário dar uma atenção especial quando tais dificuldades estão prejudicando alguma área da vida (família, trabalho, faculdade e amigos) e gerando um sofrimento intenso.

A boa notícia é que as habilidades sociais podem ser aprendidas no decorrer da vida, seja através de pessoas com quem interagirmos, ou através de intervenções de um psicólogo. Desde os conhecidos até os amigos, relacionarmo-nos de maneira satisfatória é um processo de constante aprendizagem, que vale a pena ser refletido e praticado.

Leia Também Bolsonaro e a esquerda Ser religiosa (o) Escute o que o outro realmente quer dizer! Policiais estão matando mais, fora de serviço.