5º Domingo da Quaresma

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Na liturgia deste último domingo da quaresma encontramos uma mensagem sobre a morte. Como entendê-la e aceitá-la.
O evangelista João 11, 1-45 nos trás a figura de Lázaro, irmão de Marta e Maria, amigos de Jesus. Sabendo de sua morte Jesus vai ao encontro da família de Lázaro, se aproxima do túmulo e o convida a sair do mesmo. Para surpresa de todos que lá estavam, principalmente de Marta e Maria ele sai vivo do túmulo. Estava com os pés e mãos atados com faixas. Jesus pede para libertá-lo e deixá-lo ir.
A ressurreição de Lázaro nos remete à ressurreição do próprio Jesus. Três dias depois de Sua morte, volta à vida. 
Jesus opera este milagre para levar seus discípulos a acreditarem Nele. Jesus é o senhor da vida, veio para resgatar e garantir a todos a vida eterna. Jesus considera a morte como o sono, do qual se pode acordar para a vida eterna e para a salvação.
A ressurreição de Lázaro nos garante que um dia também todos nós, ressuscitaremos para a glória. Nos diz que Deus não aceita a morte e cada vez que teremos que enfrentá-la vem ao nosso encontro. A morte não é vontade divina. Assim sendo, nunca se deve dizer ou perguntar porque Ele deixou acontecer a morte de alguém. Nós cremos que a morte é a passagem para a vida eterna e com ela veremos Deus, nosso Criador. 
Olhando a morte pelo humano não a aceitamos. Sofremos muito quando ela advém, principalmente quando acontece com pessoas que amamos muito. O que fazer então? Dirijo minha vida com a certeza de que um dia encontrarei a morte? Sei assumir a minha condição mortal para, todos os dias saber o que é essencial e reforçar minha vida de fé?
Na segunda leitura de São Paulo aos Romanos 8, 8-11 nos adverte que não podemos viver segundo a carne para agradar a Deus. Viver conforme o Espírito que habita em nós e que não morrerá. 
Um bom domingo na paz do Senhor.

Leia Também Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil: uma grande equipe nos representou em 2017 A Taça Maldita! Eu só penso naquilo!