Laço: Esporte ou cultura?

Compartilhe

O laço é uma atividade proveniente da lida bruta de nossos ancestrais, para muitos retrata uma vida, pois em toda sua verdade retrata a nossa identidade, nossa força de vontade e nossos valores primordiais.

Mas em alguns momentos, nos pegamos com o questionamento: “Será esporte ou cultura?”. Pois bem, nossos rodeios nasceram com um só intuito, que é preservar a tradição genuína. Mas aí começaram a crescer os interesses, fomentar a luta entre bem e mal, e pouco se fala, mas nos dias atuais, muitos laçam apenas por mero fim comercial, querendo que o laço seja um esporte, sem se importar com a morte de uma herança cultural.

O tradicionalismo gaúcho iniciou graças à coragem de tauras campeiros, a tradição se mantém com essa forma singular de conseguir unir, no mesmo ambiente, gerações distintas e é assim no laço, grande parte aprendeu a laçar com seus avós, pais, tios, estes que também aprenderam com seus progenitores, para não deixar esquecida essa parte única da nossa cultura, da lida diária do peão de estância.

Não podemos apagar da memória os pingos bem encilhados, o gaúcho e sua pilcha autêntica, nossas façanhas, nossas glórias, não podemos ignorar a trajetória construída por um povo, muito menos deixa-la ser esquecida, as vezes até me comovo, mas muitas vezes vemos essa peonada andar botando armada só pra laçar carro novo.

Por fim, deixo um verso do grande trovador, payador, músico e compositor do nosso estado, Jadir Oliveira Filho:

Gosto das competições

Dos rodeios, das campereadas,

Que hoje são interpretadas

Por diferentes visões

Mas gosto mais das razões

Que fazem do homem campeiro

Um gaúcho verdadeiro

De essência e alma pura

AFINAL NOSSA CULTURA

VALE BEM MAIS QUE DINHEIRO!

 

 

Leia Também O problema da instrução Nosso comportamento é resultado daquilo que ingerimos, pensamos e praticamos Pesquisa busca técnicas internacionais para construção de ciclovias Sustentabilidade e tendências fiscais