O fenômeno Thomas Machado

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Muito se falou, e muito ainda será falado sobre o Thomas Machado, o vencedor do The Voice Kids do último final de semana. Foi um turbilhão de notícias, fotos, vídeos, postagens. Enfim, saiu do ostracismo para a fama em menos de 20 dias. Ninguém acreditava que ele conseguisse, quer seja pela idade, quer seja pela inocência, superar os preconceitos que os gaúchos carregam, e derrubar a força de paulistas ou cariocas e vencer um reality nacional.

Thomas conseguiu, como eu já escrevi neste espaço na terça feira que passou, unificar o Rio Grande do Sul. Claro que não faria isso sozinho. É uma celebridade, uma criança fantástica, um garoto educado, simples, humilde, mas não conseguiria sozinho.

Inteligentemente, pessoas de boa índole cercaram o garoto e seus familiares e propuseram-se a ajudar dentro de suas possibilidades. Foi assim que ele conquistou a força e o apoio de muitos artistas do RS, bem como o apoio incondicional do Repórter Farroupilha Giovani Grizotti.

No início, eram convites para que todos os representantes do Estado no programa conseguissem conquistar votos a fim de trocar de fase. Na hora da participação nas semi finais, Thomas diferenciou-se do outro garoto gaúcho pela pilcha. Talvez até sem a mesma experiência dos palcos, mas usando a indumentária do Rio Grande, fez a diferença. Não vou avaliar se cantou melhor ou pior que o outro. Classificou e foi para as finais.

Aí o Estado se mobilizou. Afora alguns órgãos que deveriam ter apoiado (entendo que o MTG não se envolveu, mesmo que um gaúcho pilchado estivesse no palco da Globo), ganhou e conquistou a simpatia de todos.

O percentual maior que 52% obtidos por Thomas o fizeram uma celebridade da noite para o dia. Aqui na Rádio Planalto conseguimos uma gravação dele pedindo votos aos ouvintes. No Facebook da emissora foram milhares de compartilhamentos.

Na quarta-feira que passou, acompanhado do colega Célio Jr. e do empresário Adão Cirinei da Cunha, fomos à Porto Alegre para participar da entrega dos Melhores da Música Gaúcha de 2016, promoção do G1-RS. A ansiedade pela presença do garoto na solenidade era incrível. E a sua participação arrancou demorados aplausos.

Thomas é uma criança. Tem nove anos. Precisa continuar sendo criança. Acredito que a agenda tumultuada, concorrida, seja por um período curto. Porém vai continuar trabalhando pelo Rio Grande.

Significa que podemos fazer uma passagem de valores musicais desde o tempo de Os Bertussi, passando pela atualidade de João Luiz Correa ou outros grupos e projetar o futuro com Thomas e outros jovens que ainda vão surgir.

É a essência. É a tradição. É o Rio Grande do Sul, com seu orgulho, sua galhardia, botas e bombachas a serviço de uma cultura.

Estamos, nós gaúchos, de parabéns. Pela união em torno de uma causa e pelo orgulho que temos deste fenômeno.

Que Deus ilumine cada passo seu.

E, por fim, obrigado ao Giovani Grizotti por ter me convidado a ser o apresentador de evento tão importante e de destaque da cultura rio-grandense. 

Na foto, com Adão Cirinei, Thomas e Célio Jr.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito