Projeto Escola de Hackers reinicia atividades

Compartilhe
Teve início mais uma edição do projeto Escola de Hackers. Promovido pela Prefeitura de Passo Fundo com apoio do Grupo de Estudo e Pesquisa em Cultura Digital na Educação da Universidade de Passo Fundo (Gepid/UPF), o projeto tem como objetivo desenvolver competências de programação de computadores entre alunos do ensino fundamental de Passo Fundo.
Em 2017, serão quatro frentes diferentes: Berçário de Hackers, Escola de Hackers, Escola de Hackers Avançada e Academia White Hat. O Berçário de Hackers atenderá crianças de 5 a 6 anos da Escola Municipal de Educação Infantil Cantinho Feliz. A Escola de Hackers acontecerá nas escolas municipais e deverá formar 150 jovens. Já a Escola de Hackers Avançada será composta por 10 dos melhores programadores da Escola de Hackers e trabalhará com robótica. Por fim, a Academia White Hat será destinada a pessoas da terceira idade.
O grupo de trabalho do projeto é composto por acadêmicos dos cursos de Pedagogia, Psicologia, Matemática, Ciência da Computação e Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, além de professores da área de Psicologia e Computação da Universidade de Passo Fundo. Em 2015, o projeto Escola de Hackers foi agraciado com o Prêmio Líderes & Vencedores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

Leia Também Rumo à Jornada de Literatura: lançado aplicativo Inscrições abertas para ingresso especial na UPF Encontro das Etnias marcou o final de semana Adeus Conto de Fadas é o Livro do Mês de junho em Passo Fundo