Projeto Escola de Hackers reinicia atividades

Compartilhe
Teve início mais uma edição do projeto Escola de Hackers. Promovido pela Prefeitura de Passo Fundo com apoio do Grupo de Estudo e Pesquisa em Cultura Digital na Educação da Universidade de Passo Fundo (Gepid/UPF), o projeto tem como objetivo desenvolver competências de programação de computadores entre alunos do ensino fundamental de Passo Fundo.
Em 2017, serão quatro frentes diferentes: Berçário de Hackers, Escola de Hackers, Escola de Hackers Avançada e Academia White Hat. O Berçário de Hackers atenderá crianças de 5 a 6 anos da Escola Municipal de Educação Infantil Cantinho Feliz. A Escola de Hackers acontecerá nas escolas municipais e deverá formar 150 jovens. Já a Escola de Hackers Avançada será composta por 10 dos melhores programadores da Escola de Hackers e trabalhará com robótica. Por fim, a Academia White Hat será destinada a pessoas da terceira idade.
O grupo de trabalho do projeto é composto por acadêmicos dos cursos de Pedagogia, Psicologia, Matemática, Ciência da Computação e Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, além de professores da área de Psicologia e Computação da Universidade de Passo Fundo. Em 2015, o projeto Escola de Hackers foi agraciado com o Prêmio Líderes & Vencedores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

Leia Também Feira do Livro de Passo Fundo será lançada na capital Alunos das escolas municipais farão espetáculos de dança UPF recebe alunos para o segundo semestre letivo CESP Leão XIII abrirá matrículas para novas turmas