Desperdício de soja entre Passo Fundo e Ernestina

Compartilhe

Chama a atenção a quantidade de soja na beira da RS-153, entre Passo Fundo e Ernestina. Todo o ano em época de colheita é possível verificar a grande quantidade de produtos jogados fora. Em outras regiões do país, onde as estradas são precárias, não existe pavimentação, como é o caso do norte do país, ainda há uma motivação, mas o exemplo da RS-153, representa a imprudência do produtor ou do motorista que carrega demais ou não conserta a carroceria do caminhão. Andando em outras rodovias, BR-285, RS-324, dentre outras da região é possível fazer a mesma constatação.

Estudos apontam que até três por cento da produção fica espalhada nas lavouras na colheita ou nas estradas durante o transporte. Considerando que o Brasil colhe pelo menos 110 milhões de toneladas somente de soja é possível afirmar que mais de três milhões de toneladas são jogadas fora.

No Mato Grosso, maior produtor de grãos, durante uma colheita de milho, estima-se que pelo menos 115 mil toneladas ficam esparramadas nas estradas. Em todo o país, o agricultor perde entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão a cada safra só no transporte, incluindo as culturas milho e soja.

A Embrapa fez uma pesquisa e apontou que diariamente são jogadas 40 mil toneladas de alimentos fora. O volume seria suficiente para alimentar 19 milhões de pessoas por dia.


Leia Também RS entre os estados com maior uso de sementes piratas RS formaliza pedido de auditoria para certificado de zona livre de aftosa sem vacinação Apassul contesta o comércio de sementes piratas Tarde de Campo na Coasa dia 10 de outubro