Desperdício de soja entre Passo Fundo e Ernestina

Compartilhe

Chama a atenção a quantidade de soja na beira da RS-153, entre Passo Fundo e Ernestina. Todo o ano em época de colheita é possível verificar a grande quantidade de produtos jogados fora. Em outras regiões do país, onde as estradas são precárias, não existe pavimentação, como é o caso do norte do país, ainda há uma motivação, mas o exemplo da RS-153, representa a imprudência do produtor ou do motorista que carrega demais ou não conserta a carroceria do caminhão. Andando em outras rodovias, BR-285, RS-324, dentre outras da região é possível fazer a mesma constatação.

Estudos apontam que até três por cento da produção fica espalhada nas lavouras na colheita ou nas estradas durante o transporte. Considerando que o Brasil colhe pelo menos 110 milhões de toneladas somente de soja é possível afirmar que mais de três milhões de toneladas são jogadas fora.

No Mato Grosso, maior produtor de grãos, durante uma colheita de milho, estima-se que pelo menos 115 mil toneladas ficam esparramadas nas estradas. Em todo o país, o agricultor perde entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão a cada safra só no transporte, incluindo as culturas milho e soja.

A Embrapa fez uma pesquisa e apontou que diariamente são jogadas 40 mil toneladas de alimentos fora. O volume seria suficiente para alimentar 19 milhões de pessoas por dia.


Leia Também Como garantir uma boa produtividade de soja Antecipada entrega de sementes de milho e sorgo na segunda etapa do Programa Troca-Troca Rossato e Tonial: crescimento com os pés no chão IBGE estima queda de 8,9% na safra de grãos em 2018