Quadrilha que agia em todo o sul é presa em Erechim

Compartilhe

Ação conjunta entre a Polícia Civil de Erechim, Soledade, Passo Fundo e Viadutos, desmantelou na tarde desta terça-feira, 11 de abril, uma quadrilha que vinha praticando furtos e roubos em diversos municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

A ação foi desencadeada por volta das 14h30min, quando os agentes cumpriram mandado de busca e apreensão em apartamento de um prédio localizado na esquina da Avenida Santo Dal Bosco com a Rua Polônia, no centro de Erechim.

A operação, denominada Nômade, devido ao fato de os quadrilheiros não agirem em uma só região, encerrou com as prisões de sete indivíduos, dentre eles dois que se encontravam na situação de foragidos, a apreensão de três carros, sendo dois Astras e um Vectra, e R$ 41.912,80 em dinheiro. Com os presos os policiais encontraram ainda toucas, tipo ninja, uma pistola 765, uma pistola 380, dois revólveres, calibre 38, três CNHs falsas, 45 cartuchos .38, 20 cartuchos .765, 18 cartuchos .380, talões de cheque roubados em Viadutos, uma máquina fotográfica da cooperativa de crédito Cresol, relógios, celulares, ferramentas diversas, além de roupas e acessórios.

Três outros suspeitos de integrar a quadrilha seguem sendo procurados e são considerados foragidos da Justiça. A investigação também irá apurar o possível envolvimento de outros indivíduos nos três estados onde o grupo atuava.

A Operação Nômade foi coordenada pelo delegado titular da 24ª Delegacia de Polícia Regional, com sede em Soledade, Jader Ribeiro Duarte, pelo delegado titular da Delegacia Especializada de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Erechim, Gustavo Vilasbôas Ceccon, e pela delegada titular da 11ª Delegacia de Polícia Regional do Interior, com sede em Erechim, Diana Casarin Zanatta.

Créditos:  Alan Dias / Jornal Boa Vista

Leia Também Brigada Militar garante segurança para retomada das aulas em Charrua Defrec troca tiros com foragido da Justiça Policial condenado pela morte de integrante do MST Foragidos do presídio de Chapecó