O fim que todo bandido merece

Postado por: Marcel Van Hattem

Compartilhe

A condenação de Lula é uma questão de tempo. É o que demonstram todas as evidências.

Lula estará frente a frente com o juiz Sérgio Moro no próximo dia 3 de maio. Será final de Copa do Mundo. O Brasil todo parará - e torcerá ardorosamente pela vitória da lei sobre o ilícito; da seriedade sobre o deboche; da verdade sobre a mentira.

Lula baseou sua trajetória, toda ela, sobre mentiras. Nunca combateu a elite, sempre quis apenas substituí-la como é o objetivo de todo comunista, de todo socialista, de todo safado demagogo que ilude os mais pobres com promessas irrealizáveis.

Descobriu rápido, porém, safo que é, que não poderia substituir a elite existente no Brasil como foi feito em Cuba ou na Rússia. Usou do populismo caudilhista e dos laços criados com a escumalha da esquerda latino-americana através do Foro de S. Paulo para, por meio da hegemonia cultural marxista-gramsciana, chegar ao poder pelo voto de uma maioria iludida e de uma minoria detentora da mais pura má fé e perversidade.

Ato contínuo, para chegar e se manter em Brasília decidiu que se aliaria à parte mais poderosa da elite corrupta brasileira e compraria a parcela restante que estivesse à venda. Como diz a matéria publicada esta semana pela revista IstoÉ (http://istoe.com.br/o-fim-da-alma-mais-desonesta/), cuja leitura recomendo na integralidade: "enquanto se dizia vítima das elites, em palanques País afora, Lula tinha um apartamento reformado pelas mãos da quintessência dessa mesma elite. Quem, nesse País, desfruta do privilégio de ter um imóvel remodelado por um presidente de empreiteira e, ainda por cima, de graça? Nós? Ou ele?"

O fim de Lula está próximo, e não considero um fim melancólico, triste. É apenas o fim que todo bandido merece.

 

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018