Odebrecht é apenas a “ponta do Iceberg”

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Ao que tudo indica, nas próximas semanas novas descobertas de fraudes e corrupções envolvendo políticos e o Poder Público, virão à tona. A Odebrecht não era a única empreiteira a participar dos “rolos” e me arrisco a dizer que o desvio com outras situações era ainda maior. Vêm aí às revelações da OAS, tem suspeita de desvio em repasses de verbas para estados e municípios, comissão em emendas parlamentares, o funil é grande, até puxar tudo para fora vai longe. Vamos ver se as autoridades judiciais terão vontade e coragem para fazer isto, como estão tendo até agora.

 

Acabaram com a reeleição

O programa Frente e Verso de sábado, pela Rádio Planalto, foi um sucesso. As pessoas estão realmente indignadas com tanta sujeira na política. O programa teve a brilhante participação dos jornalistas, Fabricio Soveral e Alisson Dozza. Entre tanto temas tratados, algo chamou a atenção pelas opiniões da audiência. Parabéns aos políticos, principalmente os de Brasília, que conseguiram colocar um carimbo de coisa ruim, na reeleição. Sempre quando um político vai bem, satisfaz o eleitor, a vontade é de votar nele novamente, para que de continuidade ao bom trabalho. Entretanto, está provado que a reeleição cria vícios, facilita a corrupção e perpetua no poder os enganadores do povo. A reforma política, tão necessária, precisa mexer nisto, talvez aumentar o tempo do mandado de 4 para 5 ou 6 anos, mas extinguir a reeleição, pois o que o que era para o bem, foi transformado em um grande mal e este, desnecessário.

 

Cultura dos nossos políticos é de falta total de vergonha na cara

Casos de corrupção, como os que estão sendo escancarados no nosso país, levaram muitos políticos e empresários a cometer suicídio, em vários outros países do mundo. A história registra inúmeros fatos, onde a vergonha da descoberta é tanta que o político não suportou a pressão e deu um jeito de desaparecer. Ao contrário, no Brasil, os camaradas não tem um pingo de vergonha e ainda acham bonito passar os outros para trás. É tanta sem-vergonhice que ainda anunciam antecipadamente a próxima candidatura, como o caso do ex-presidente Lula, que ironicamente diz que vai voltar a governar o Brasil, bota palhaçada nisso.  O atual presidente Temer é outro, se fosse descente e sentisse arrependimento do que fez, renunciaria, mas não, só sai na marra, se a justiça obrigar. O eleitor contribui muito para esta cultura, defende bandeiras, como se dissesse “o cara é do meu partido, pode ser o maior ladrão que for, irei defender”. Enquanto isto, independente de partidos, bandeiras e ideologias estão deixando acabar com o país.

 

Dizem por aí... Que o que desviaram da Odebrecht, em comparação com o que está para vir, é troco. Será verdade?

Leia Também Matam a educação pública, aos poucos! A periferia como lugar de atenção da Igreja Católica de Passo Fundo Orgulho Gaúcho O que é um Seminário?