Triplex, 40 milhões, sítio. O que mais, Luiz Inácio?

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Foram 40 milhões de reais. Não. Foram 35 milhões de reais. Melhor dizendo: em 2010 foram 50 milhões de reais.

Bem. Foram também um tríplex no Guarujá, área nobre paulista, um sítio em Atibaia, a influência do homem mais honesto do mundo, igual a Jesus Cristo, e até seu irmão beneficiado com mesada mensal paga pelos propineiros.

Um real ou bilhão... foi dinheiro sujo. E este dinheiro sujo saiu dos cofres de uma empresa que prestava serviços públicos. Foi dinheiro de propina, paga a Lula. Coloca aí no mesmo saco FHC, Palocci, deputados como César Maia, aqui do Rio Grande, Yeda e a outros denunciados.

Esta delação de Marcelo Odebrecht, afirmando que doou mais de 40 milhões a Lula, também vinculada à lista de Janot, acaba com todos os políticos brasileiros. A de Léo Pinheiro (OAS) acaba de vez com as mentiras de Luiz Inácio.

Não sobra terra sobre terra. Foi um vendaval.

“Então a gente provisionou uma parte deste saldo e aí botamos 35 milhões num saldo amigo, que é Lula....”, foi a declaração de Marcelo ao Juiz Sérgio Moro.

Vejam bem: Uma parte do saldo foram 35 milhões. Ora... Lula não sabia de nada... claro.

Assim como ele, Dilma, na sua chapa vencedora das eleições de 2014, também não sabia que havia caixa dois. Também não pediu dinheiro para a Odebrecht.

A empresa não pagou nada para a chapa vencedora. Não. Isso é coisa da direita. Da oposição. A mesma que teve caixa dois e cujo candidato Aécio está mais enrolado que fio em novelo de linha. Coisa de fascista.

Ha estes esquerdopatas. Ainda vai sobrar para Pedro Álvares Cabral. Podem apostar.

Podridão total.

E os fanáticos insistem que o povo que foi para as ruas em março do ano passado batiam panelas a favor de Eduardo Cunha e contra “ela”. Claro. Porém com uma ressalva: Cunha foi o primeiro preso deste bando de ladrões.

E os paneleiros aplaudiram Moro quando o prendeu. Ainda assim, ninguém cuspiu no rosto de ninguém. Bem... ao que consta, os “paneleiros” e os que foram para a rua, que também são chamados de patinhos amarelinhos, querem o Brasil melhor, sua grande maioria não mama nas tetas do governo e o que é “pior”: Trabalham. Os que os criticam, nem tanto o fazem.

Mas não basta isso. Derramam seu ódio salivar nas palavras de que a Fiesp é golpista, pelo fato de que mostra o tempo todo o pato que representa o verdadeiro brasileiro, cansado, estropiado pelos impostos pagos para sustentar esta algazarra de políticos inescrupulosos.

Apoiar uma entidade que prevê a redução do Estado para beneficiar o povo e fazer com que o Estado cumpra a sua função, é ser fascista.

E o que é pior, ainda aconteceu e está restrito à esquerdopatas de plantão: Acusar Sérgio Moro de ser partidário. De estar errado, em tentar limpar o Brasil desta corja.

Para resumir: Basta você não estar a favor dos ladrões, começando pelo PT, mas incluindo todos os demais – PMDB, PP, PDT, Pê-não-sei-o-quê, e você é fascista.

Imagine se você disser que, entre cusparadas públicas e outras coisas, você questionar o motivo de Jair Bolsonaro não estar em nenhuma lista da Lava Jato.

Não, não estou relevando os fatos. Estou apontando. Não sou a favor nem contra. Só estou mostrando.

A propósito: Os que defendem os indefensáveis lá, defendem aqui. Claro: Mamaram nas tetas até há alguns dias. Têm gordos salários de aposentadoria. Não ficam na fila do banco.

Criticam os que questionam, mas usam duas medidas. Aqui apoiam a mentira. A forma midiática de fazer política. Quando cair a máscara, cairão todos. É certo isso.

E por lá, Lula, Temer, Dilma, FHC, Aécio, e todos os que usaram de falcatruas para se elegerem, devem pagar por isso. Inclusive os deputados gaúchos. Seja Maia, Seja a Rosário, seja Lorenzoni, Seja Yeda. Todos os que estão errados, sem ética, os que deixaram a cara por bater, devem ser punidos.

Odebrecht, Pinheiro, Palocci... Todos estão mentindo. O homem é mesmo inocente.

Como sempre registro: Não tenho político de estimação. Tampouco ladrão de estimação. Se deve, tem que pagar.

Pelo bem do Brasil.

A propósito: É mesmo necessário que se gaste quase 100 mil reais em dois anos para uma associação de municípios? O que ela oferece de tão bom assim para pagar anuidade de quase 50 mil? Qual a finalidade disso?

Que povo curioso, tchê.  Querem saber tudo!!!

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito