O medo de Lula

Postado por: José Ernani Almeida

Compartilhe

Se as eleições fossem hoje Lula seria eleito em primeiro turno em todos os cenários pesquisados, segundo pesquisa CUT/Vox Populi, realizada entre os dias 6 e 10 de abril. Lula tem de 44% a 45% dos votos válidos contra 32%  e  35% da soma dos  adversários  nos  3  cenários  da  pesquisa  estimulada.  São os votos válidos, excluídos os nulos, em branco e   abstenções, que valem   para definir o resultado das eleições

 A pesquisa Ibope mostra, igualmente, que o ex-presidente voltou a ser o presidenciável com maior potencial de votos entre os nomes testados pelo instituto.  Pela primeira vez desde 2015, os eleitores que dizem que votariam nele com certeza (30%) ou que poderiam votar (17%) se equivalem aos que não votariam de jeito nenhum (51%), considerada a margem de erro. 

Daí a exasperação, a histeria dos comentaristas, articulistas, colunistas anti-Lula pedindo sua prisão imediata. Os representantes da direita-golpista-sem-voto sabem que se não agirem rápido Lula os engole nas urnas.

É preciso tirar Lula do páreo. Com Lula ficará difícil de entregar as riquezas nacionais ao capital internacional.  Ficará difícil punir o trabalho e o trabalhador, vistos como   os grandes responsáveis pelo atraso do país. Sabem que Lula é um símbolo da Democracia Popular.

O jurista, ministro aposentado do STF, Nelson Jobim, em recente artigo, abordou a campanha pela prisão de Lula e revelou seu espanto diante da indignação, do facciosismo raivoso, intransigente, esterilizador da razão, daqueles que nem mesmo perguntam sobre ser, ou não, culpado.

As   denúncias continuam sendo vagas, baseadas em presunções e incapazes de apontar vantagens efetivas que ele tenha obtido. Há fartas demonstrações que o ex-presidente tinha noção da corrupção que garantia a “governabilidade” – alguém ainda não sabia disso? Quem procura um santo, deve procurar em outro lugar, não na política. Muito menos na brasileira. Isto é histórico entre nós.

Pouco sabem sobre os fatos, e os processos judiciais. Compram as verdades nas redes sociais e na mídia parcial. A Globo, que é acusada de desviar mais de 6 bilhões de reais dos cofres públicos nos últimos anos, descaradamente, abraçou a campanha contra Lula, na medida em que este se mostra com grande potencial de votos.

Nos jornais, para Lula foi destinada “propina”, para FHC “valores indevidos”? Daí passam a exigir prisão já, com um histerismo digno dos melhores momentos do fascismo   europeu dos anos 1930/1940.  Estamos, sem dúvida, indo longe demais   na subversão da democracia.

O mote é o combate à corrupção.  É a moralidade de ocasião. Curiosamente esquecem que o governo golpista, que estes mesmos indignados de plantão levaram ao poder,  tem  80%  dos ministros denunciados  em processos.

Quando passarão a exigir a prisão da turma formada por Aécio, Serra, Jucá,  e  do próprio Presidente? Em relação a estes a leniência é espantosa. Tenho de rir quando vejo declarações – até na nossa Câmara de Vereadores – de que “não tenho corrupto de estimação”. Mas, os mesmos que fazem esta afirmação, apoiaram nas ruas o golpe, e colocaram no poder uma “quadrilha de estimação”!

 Seria, na verdade, o amor pela “ética e pela transparência”, ou porque olham com preocupação 2018? Lula assusta?  É o medo de uma eleição com a participação do   ex-presidente?  Não há como escapar à evidência:  Lula põe medo.  Lula põe terror pânico. Contra ele vale tudo.  Será que estes   justiceiros oportunistas esquecem que um Lula mártir se tornará mais forte ainda?

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018