Vamos falar sobre amizade?

Postado por: Jéssica Limberger

Compartilhe

Teve um momento da minha vida que acreditei que o mundo estava sendo injusto comigo: fiz amizade com pessoas que moram longe de mim e queria que elas estivessem mais perto. Eu ficava sonhando no quanto seria bom se essas pessoas queridas morassem na mesma cidade que a minha, frequentassem os mesmos lugares e fossem comigo no mesmo parque. Aliás, seria pedir demais que elas fossem minhas vizinhas de porta? Que todas fossem minhas colegas de trabalho? Seria uma festa!

Amizades sinceras nos fazem querê-las perto de nós, compartilhando momentos e tornando a nossa vida mais feliz. Em meio à utopia e aos devaneios por um mundo perfeito, dei-me conta de algo importante: aqueles amigos tão queridos e especiais, que já moram na mesma cidade que eu, também gostaria que saíssemos mais, que conversássemos mais sobre nossas vidas e aproveitássemos mais a cidade em que moramos.

É curioso: talvez em algum momento eu deixei de visitar um amigo que mora perto justamente por saber que o encontraria facilmente em outro dia. Já com aquelas amigas de longe, planejávamo-nos com antecedência e tentávamos ao máximo não desmarcar nossos encontros, justamente por não sabermos quando nos veríamos de novo. Acredito que aprendi com as amigas que moram longe como valorizar ainda mais aquelas que moram perto.

Com o passar do tempo, percebi a beleza de ter amigos que moram perto e que moram longe, pois na verdade eles estão juntos de mim, nos meus pensamentos e no meu coração. Muito mais do que isso, os amigos estão nas ações, pois muito do que sou devo à convivência e à vida compartilhada com eles.

Há tantas coisas que aprendemos com os nossos amigos... Temos muito dos nossos amigos em nós: o jeito de falar, o jeito de vestir, o gosto pelas músicas, talvez até o estilo literário... E tem muito de nós em nossos amigos: nas brincadeiras, nas piadas que só fazem sentido entre nós, nas lembranças compartilhadas, nos desafios alcançados. Tão importante quanto as semelhanças, são as diferenças nas nossas amizades. Já percebeu a riqueza que existe em cada amigo ser diferente? Parece que com cada um deles, na sua singularidade, podemos aprender e compartilhar algo. É como se todos os amigos formassem uma grande rede, que sustenta e traz mais vida à nossa caminhada.

Quem de nós tem o privilégio de continuar contando com aquela amizade da adolescência? É como se uma etapa da nossa vida fosse guardada em dois corações. Vamos amadurecendo, criamos a nossa identidade e carregamos muitas aprendizagens que herdamos dos nossos amigos. Talvez uma boa ideia de amizade verdadeira seja aquela com quem você cresce e evolui.

Tanto os amigos de perto, quanto aqueles de longe, têm algo em comum: eu sei que eles estão ali. E "ali" significa que posso contar com eles, cada um da sua maneira. Saber que posso compartilhar uma história feliz ou triste, seja pessoalmente, por carta, por ligação, ou quem sabe até por pensamento. Talvez uma das belezas da amizade seja justamente essa: estar ali. Talvez todo esse saudosismo, de querer estar mais perto, de querer conversar mais, reflete esse "gostinho de quero mais" que se renova a cada encontro, pois a amizade se constrói a cada dia.

Como é bom querer estar mais próximo de quem gostamos! Como é bom sentir a vontade de fazer mais atividades com quem queremos que esteja mais perto de nossas vidas! Com o tempo, aprendi que o mundo não era injusto, e que ter "amigos espalhados" é, na verdade, uma dádiva. Assim, sigo a vida me locomovendo com leveza e os carrego comigo, para onde quer que eu vá.

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018