Fome emocional

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Para maioria das pessoas, incluir metas para emagrecimento e vida saudável não faltam, mas difícil de manter o foco quando se procura na comida a cura para todos os problemas.

Vivemos numa época que cada vez mais as pessoas estão com menor capacidade em lidar com seus sentimentos, e problemas por isso vivemos numa epidemia de depressão e transtornos do sistema nervoso além de sobrepeso.

É inegável que comer é um ato prazeroso que não encontramos quase  em  nenhuma outra maneira um prazer tão grande, até porque o ato alimentar já é introduzido no nosso inconsciente como algo bom, desde o aleitamento materno, onde temos o acolhimento, o afeto e o carinho no carinho.

Pois a alimentação gera a produção de endorfina  que  tem  ação relaxante, e a serotonina atua no humor. Algumas  outras situações  estimulam esses neurotransmissores, como amor e exercício físico. Quanto maior a necessidade de aplacar o estresse, mais comida se ingere. Quando se dá conta, já buscou conforto na comida

Mas, o problema é quando as coisas fogem do controle , onde a pessoa busca a fuga na comida para lhe manter feliz mas ao mesmo tempo encontra peso na consciência por ter excedido seu limites e isso causa ainda mais frustrações gerando uma “bola de neve “ pois gera compulsão alimentar.

Nesses casos é importante  identificar quando há  excesso alimentar por conta de problemas emocionais e buscar ajuda, praticando  atividade física, iniciando um planejamento alimentar adequado evitando dietas muito restritivas e principalmente buscar o auxílio psicológico.

Mente tranquila , corpo saudável

 

Leia Também Psicastenia Homenagem a clubes da cidade gera polêmica A mais equilibrada Série Prata dos últimos anos O que evitar quando há retenção de líquidos?