Os lados de um momento histórico

Postado por: Israel Kujawa

Compartilhe

A época em que estamos vivendo é identificada como pós-modernidade ou a modernidade líquida.  As características que a definem se apresentam na pluralidade, multiplicidade, incerteza e insegurança. Uma referência indispensável pera entendermos o atual momento é uma das obras escritas por Sigmund Freud, no primeira metade do século passado. Trata-se da obra traduzida para o português com o título Mal Estar da Civilização.

Na obra do Freud, o mal estar decorre do conflito entre os instintos individualistas, egoístas e violentos, com o comportamento social civilizado. Os acontecimentos autoritários e catastróficos do início do século XX, que são as guerras mundiais, as ditaduras e o nazismo, materializam, também, a perseguição ao intelectual que se colocou na frente do seu tempo.  Freud foi rejeitado e suas obras formam para a fogueira. Seu otimismo individual foi expresso na constatação de uma evolução em relação a idade média, pois apenas suas obras foram para fogueira e diferentemente do que ocorreu com autores medievais, a pessoa Freud não foi queimada.

Os acontecimentos catastróficos vivenciados no início do século XXI, com instabilidade institucionais e com a promoção de guerras civis em diversos países do mundo exigem capacidade intelectual para identificar   as diversas dimensões dos acontecimentos. O poder de influenciar, manipular e dominar, presentes nos comportamentos ditatoriais e desumanos, foram aperfeiçoados e as promessas de emancipação do ser humano estão definhando, pela ação de forças que disputam o controle do mercado e instrumentalizam o estado e a sociedade. Os confrontos, as guerras e as instabilidades institucionais vivenciadas em estados nacionais, a exemplo do Brasil, são patrocinadas, incentivadas e financiadas por instituições transnacionais que desejam se beneficiar financeiramente dos confrontos internos.

A exemplo de outros países, o mais representativo da América Latina revive no início deste século, o confronto de visões, de modelos de sociedade, que estavam em disputa na década de 1960. Os confrontos entre estas visões tiveram um desfecho negativo para a democracia e para as camadas das sociedade com menos oportunidades, a partir do golpe de 1964.  Da mesma forma, os confrontos vivenciados nesta década, também são planejados e financiadas por forças transnacionais e o governo em vigor não tem a legitimidade do voto. Além disto, os desdobramentos implementados pelo grupo que assumiu o poder em 2016 estão atendendo o interesse do mercado financeiro e sendo prejudiciais para as camadas sociais que tem menos oportunidades materiais e culturais. 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”