A democratização dos espaços públicos

Postado por: Juliano Roso

Compartilhe

Passo Fundo tem passado por um processo interessante de recuperação de sua história e cultura. A partir de políticas públicas sérias implementadas pela prefeitura, na pessoa do prefeito Luciano Azevedo, a cidade mudou de patamar. Além da recuperação de áreas antes abandonadas, como o Parque da Gare, o município recebeu novos espaços de lazer e cultura: o Sétimo Céu, o Parque Banhado da Vergueiro e, mais recentemente, o Espaço Roseli Doleski Pretto. A qualificação dos locais para fomento de cultura é parte fundamental na consolidação de uma Passo Fundo mais vibrante e moderna.

A ocupação de espaços públicos, como se sabe, é estratégia primordial para melhorar a qualidade de vida nas cidades. Pessoas nas ruas tornam a cidade mais segura, mais viva e mais democrática. E quando esses espaços são receptivos à realização de atividades culturais o resultado é ainda melhor. Praças, parques, bibliotecas, teatros e outros equipamentos de lazer e cultura ajudam a moldar o perfil de uma cidade. E quando a sociedade abraça esta causa, todos ganham. A cidade fica mais viva e o povo fica mais culto e feliz.

Portanto temos de destacar a importância de, cada vez mais, reforçar ações e medidas de incentivo à ocupação das cidades. Será somente com a participação plural, em todos os espaços públicos, que teremos uma cidade mais democrática, participativa e desenvolvida.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”