“Não era meu. Era dela”!

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Declaração mais estapafúrdia como esta que Lula deu ao Juiz Sérgio Moro, e que viralizaram nas redes sociais de todo o mundo, só são piores das que os fanáticos pela bandalheira em que se transformou o Brasil estão tentando incutir, a preço de amizade, nos demais brasileiros esclarecidos.

Senão vejamos: Perguntado pelo magistrado, o investigado disse que não sabia do tríplex, que não era de seu conhecimento a proposta de compra, que nunca tinha ido ao local – Ops, depois corrigiu e disse que foi uma vez. Ainda, que a sua falecida esposa tinha voltado no local por mais vezes. Não sabia quantas e nem o que tinha ido fazer.

Bem, nem boi (tadinho dos animais) acredita numa história destas.

As alegações de que não havia solicitado melhorias no tríplex foram mais absurdas que a tentativa de os petralhas difamarem Moro: De que não gostavam de praia, de que a areia fazia mal à sua pele, de que ele seria muito assediado se frequentasse o Guarujá.

Piada pronta.

E mal feita.

Nos oito anos em que passou desfrutando de uma vida milionária em Brasília, por quantas vezes o esperto ex-presidente refugiou-se nos carnavais em praias isoladas pelo Ministério do Exército e da Aeronáutica?

Quantas caixas de cerveja, vinho importado, cachaça e uísque lhe foram levadas nestes períodos de sete, dez dias?

E ele disse descaradamente que a esposa tomava conta de tudo e ele não sabia de nada.

Um investimento superior a 200 mil reais, de entrada.

E ele não sabia de nada.

Imagine você, leitor, ir a um banco, fazer um financiamento de 200 mil (ou sacar de sua conta, se tiveres), para um apartamento e teu cônjuge não saber de nada?

Legal. Casal moderno.

E ele não conhecia os movimentos da diretoria da Petrobras.

Bem.... Ele não sabia que José Dirceu era corrupto. E Palocci. Mas sabia que Dilma era muito “devagar”. Que era muito fraca, conforme suas palavras.

Também não sabia que a mulher do marqueteiro iria detoná-lo na delação e que isso viria a público no dia seguinte ao seu depoimento.

Imagine se soubesse.

A explosão foi tamanha que aqueles que o idolatram, inclusive em postagens nas redes sociais, estão calados, lambendo as feridas e chorando o leite derramado.

Deixou seus seguidores sem eira nem beira.

Tadinho. Não sabia nada.

A propósito dos que ainda conseguem defende-lo: Era depoimento e não julgamento. Por isso ainda não foi preso.

E depois?

Depois tem Palocci, tem Aécio, Tem muitos petistas, peemedebistas, pepistas e outros “istas” que também sentarão em frente à Moro, dias antes de que este declare a sentença condenatória.

Aí o Brasil estará sendo passado a limpo.

Aí será de todos nós. Não só dela.

A propósito, minha homenagem às mães brasileiras. Estas mulheres sofridas e trabalhadoras, que não conseguem tão facilmente adquirir um tríplex sem que o marido fique sabendo.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito