Lula arma circo, mas Moro faz prevalecer o Estado de Direito

Postado por: Marcel Van Hattem

Compartilhe

O depoimento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva não surpreendeu a ninguém. Nem aos seus fiéis cordeiros, nem aos seus ferrenhos críticos. Como criminoso que é, Lula demonstrou que não pretende esclarecer absolutamente nada, utilizando a mesma estratégia vitimista adotada durante as apurações sobre o mensalão. Disse que não sabia ou ficou em silêncio quando as perguntas de Sergio Moro, de postura exemplar, chegaram mais perto de incriminá-lo, mantendo quase sempre uma atitude irônica, até intimidadora.

Mas, dessa vez, o silêncio não foi o pior. O que mais causou espanto foi a capacidade doentia de Lula de apontar para Marisa Letícia, falecida em fevereiro. Ele diz que a sua esposa não gostava de praia, mas comprou uma cota de um apartamento simples à beira-mar, depois visitou por conta própria o tríplex do mesmo empreendimento, que não era dela. Mesmo após a negativa de interesse do então presidente, que já havia visitado o local acompanhado de um corretor de imóveis muito improvável, o presidente da OAS, uma das maiores empreiteiras do país, Marisa teria voltado ao imóvel sem qualquer explicação.

O ex-presidente perdeu a chance de demonstrar a Moro que é inocente. Apostou que o circo seria a melhor estratégia, que o Estado de Direito continua protegendo os poderosos. Nas longas cinco horas de depoimento, seus advogados tumultuaram a audiência constantemente, e o que se ouviu de Lula foi o de sempre: que não sabia de nada, além de provocações políticas, críticas à imprensa e teorias conspiratórias impossíveis.

É óbvio que não há assinatura de Lula demonstrando que o tríplex do Guarujá é seu, como pede o ex-presidente para admitir culpa. É exatamente por isso, por não ter comprado o imóvel formalmente, que Lula está sofrendo processo por lavagem de dinheiro, dentre outras acusações. Agora precisamos esperar que Moro julgue atento às provas, como tem feito até aqui, comprovando que o Estado de Direito no Brasil está em pleno funcionamento. A atuação firme e técnica do juízo durante o depoimento de Lula não deixou qualquer argumento para que o acusado famoso se faça de vítima e se livre das acusações.

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018