Cinofobia: medo de cães

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

O medo de cães é bastante comum, uma vez que ocorre uma associação histórica entre cães e lobos. Os cães acabam parecendo grandes e ferozes, embora podendo serem até filhotes pequenos. Para uma pessoa fóbica, jamais os cães serão considerados leais e fieis. Os fóbicos têm medo da aparência ou do rosnado feito pelos cães e não apenas da mordida.

As pessoas que tem fobia de cães sentem-se ansiosas e assustadas, podendo manifestar sintomas físicos e psicológicos, tais como: tonturas e sensação de desmaio, desorientação; sudorese; agitação e tremores; náuseas e desconforto gastrointestinal; boca seca, sensação de asfixia ou dificuldade em engolir; congelamento; estado de fuga; choro; ter pensamentos de morte; sentir-se como passível de perder o controle ou enlouquecer; incapacidade de distinguir entre realidade e irrealidade; tentar evitar situações que trazem confronto com um cão.

Para se diagnosticar a cinofobia é importante se determinar se o medo é persistente ou desencadeia uma resposta imediata de ansiedade. Esta situação precisa interferir nas atividades sociais, familiares ou profissionais. Uma das técnicas psicoterapêuticas utilizadas é a Terapia Cognitiva Comportamental.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”