Oposição tenta colocar Trump contra a parede

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Assim como no Brasil, o caso da presidente Dilma, que foi retirada do governo, por motivos ainda duvidosos, é um exemplo, nos EUA, o presidente Trump sofre com a inconformidade da oposição, que até agora não acredita como perdeu as eleições. Que o homem é polêmico e está metendo a mão com muitos segmentos poderosos do Estado americano e do mundo, a maioria sabe, basta acompanhar os noticiários, porém é flagrante o movimento para aumentar as coisas, dando a elas um carimbo de serem erradas e graves. Daqui de longe, com o que chega até nós, não há como se posicionar contra ou a favor, só acho que o homem ganhou as eleições com propostas diferentes e agora está aos poucos colocando em prática. Vejo muito mais por trás disto tudo, uma disputada política, que pode inclusive afetar o mundo, pois os EUA são a maior potencial na maioria das áreas e o que acontece lá, respinga aqui, por isso, precisamos estar atentos e acompanhar de perto o que acontece lá.

 

Mercado de trabalho cada vez mais seletivo

A falta de emprego vem sendo o principal problema social, com consequências negativas para as áreas da educação, saúde e segurança. Conseguindo um trabalho, tendo uma remuneração garantida, a pessoa fica mais tranquila e de uma forma ou de outra consegue se virar.  Sem esta perspectiva a pessoa pensa bobagem e pior, faz bobagem. Falta trabalho, as vagas diminuíram, é verdade, entretanto, uma característica tem chamado à atenção, muitas empresas estão preferindo contratar alguém, de destaque, que já está empregado do que apostar em um novo servidor. Bons funcionários estão sendo disputados pelas empresas do mesmo ramo. Por isso, quem tem uma carreira sólida, sempre terá emprego. Aquele trabalhador que não completa um ano sequer no emprego, que o empresário olha na carteira que o candidato não é de criar raiz, para este a coisa é ainda mais difícil.

 

“Quem não chora não mama”

No atual sistema político e administrativo do nosso Estado, muitas coisas só funcionam na pressão. Tem que protestar, tem que fazer manifestações, tem que trancar ruas e por aí. A coisa funciona, mais ou menos assim, “vamos atender quem pede mais”, por isso que digo, “quem não chora não mama”. Depois de graves acidentes, na rodovia que passa dentro do bairro Leonardo Ilha, vem à notícia que irão colocar uma lombada eletrônica no lugar. Não colocaram antes, pois os pedidos ainda eram poucos, tinha que morrer mais gente, ter mais protestos, daí sim atender merece ser atendido. Esse é o nosso Estado, não deveria ser assim, mas é, portanto, vamos protestar.

 

Dizem por aí... Que os mesmos que querem a saída de Trump do governo americano, defendem a saída de Temer do governo brasileiro. Será verdade? 

Leia Também A periferia como lugar de atenção da Igreja Católica de Passo Fundo Orgulho Gaúcho O que é um Seminário? Municípios receberão R$ 44 milhões para salas de vacinação