Passageiros querem transporte coletivo mais ágil

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

No programa Frente e Verso de sábado, pela Rádio Planalto, ficou claro que se os ônibus tiverem preferência no trânsito de Passo Fundo, mais pessoas irão optar pelo transporte coletivo, diminuindo o número de veículos de passeios, que tanto congestionam as vias principais, nos horários de pico. A preferência para os ônibus passa por uma linha preferencial, na Avenida Brasil, com a retirada de estacionamentos no trecho de maior movimento, entre as escolas Fagundes e Protásio. Mesmo que parte do comércio seja contra esta medida, a Prefeitura não pode mais protelar esta decisão, o momento é agora, justamente quando está sendo definido o modelo de transporte que queremos para os próximos 20 anos. Apoio o comércio da nossa cidade e sei bem o valor que ele tem, mas não acredito que será prejudicado com a retirada de estacionamento, pelo contrário, tudo é uma questão de visão e para evoluirmos como cidade, é preciso acreditar nas mudanças.

 

Nem tudo é Brasília

Não podemos ficar alheios ao que está acontecendo no poder central do Brasil, mas também não podemos ficar paralisados, achando que só o que importa é o que acontece lá. A vida continua, corrupção no Brasil existe desde o descobrimento do país e pode-se é claro controlar, mas acabar com ela é utopia. Então, vamos cuidar da nossa aldeia e nos posicionarmos corretamente, quando tivermos chances de influenciar no que acontece no Governo Federal e isto só é possível votando melhor nas próximas eleições. Fora todos esses que estão aí sendo citados diariamente pela imprensa, independente de partidos, tudo um bando de ladrões, Lula, Aécio, Dilma, Temer e todos os seus asseclas. Enquanto o povo brasileiro não abrir os olhos essa gente vai continuar se alternando no poder e nos enganando. Chega!

 

Rua Independência é responsabilidade de todos

O que está acontecendo na Rua Independência em Passo Fundo é triste e muito feio para a nossa cidade. Jovens alucinados, sem educação e menor comprometimento com a cidadania. No domingo, pela manhã, estive no local e enxerguei garrafas quebradas por todos os cantos, copos plásticos e resto de lanches jogados na via pública, uma vergonha. Por outro lado, observei que as lixeiras, dispostas ao longo da rua, na sua maioria, estavam vazias, ou seja, é falta de educação mesmo, pois preferem jogar o lixo na rua, a colocar na lixeira, existente a poucos metros, isso é atitude de seres irracionais. Apesar disto, os comerciantes da rua também deixam a desejar, poderiam ajudar mais nesta tarefa, com criatividade e medidas que evitem potencializar esta bagunça, a responsabilidade é de todos.

 

Dizem por aí... Que tem gente mais preocupada com Brasília, do que com os problemas que tem dentro da sua casa. Será verdade?

Leia Também Primavera Matam a educação pública, aos poucos! A periferia como lugar de atenção da Igreja Católica de Passo Fundo Orgulho Gaúcho