Lei que muda o cardápio das Cantinas Escolares: Radicalismo ou necessidade?

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Nessa semana foi divulgado um projeto de lei proposto pelo vereador Saul Spineli, aqui de Passo Fundo, no qual tive a satisfação em fazer parte da criação, que proíbe nas escolas do município a comercialização de alimentos sem qualidade nutricional.

A lei tem como objetivo estimular o consumo de alimentos saudáveis, prevenir a obesidade infantil e promover a melhoria da qualidade de vida das crianças e adolescentes.

Tal imposição pode gerar polêmica, enquanto alguns podem julgar como radical e outros encaram como necessário, considerando o Brasil um País que tem uma população com mais de 60 % com excesso de peso não pode mais fechar os olhos para a alimentação inadequada das crianças.  

Nossa vida tem sido realmente muito corrida, as famílias estão optando cada vez mais por alimentos mais práticos por isso, e deixar o lanche da criança sob responsabilidade da cantina é cada vez mais frequente, e isso não quer dizer que seja errado já que o tempo parece ser cada vez mais curto e não se consegue preparar lanches como antigamente.

Por isso, mudar o cardápio dos barzinhos escolares deve ser modificado, ou seja, chega de vender balas, refrigerantes, salgadinhos, frituras, doces em geral, afinal a escola não tem o papel educador também em relação aos hábitos alimentares?

Quanto as escolas públicas que obedecem ao programa nacional de alimentação escolar seguem uma lei própria, mas a maioria dessas escolas possuem um local onde vendem produtos para obter um lucro para despesas não oneradas pelo governo, mas isso não impede que elas mantenham esse comércio mas que haja mudança no tipo de alimentos.

Substituir as frituras, doces, refrigerantes, salgadinhos, por frutas, salada de frutas, iogurtes com cereais, sucos naturais, sanduiches integrais certamente fará com que a criança melhore seus hábitos alimentares e sua qualidade de vida e consequentemente garantindo um futuro melhor.

Leia Também A segurança pública começa com justiça social! O Fusca da Chevrolet Nomofobia (vício em celular) O retorno da alfaiataria no office look