O Grêmio não quis ganhar

Postado por: Cristian Queiroz

Compartilhe

Anotem, e depois me cobrem. Os três pontos que o Grêmio não quis ganhar ontem, 28, na Ilha do Retiro irão fazer falta neste Brasileirão. Três pontos que o Grêmio abriu mão, uma vitória que o Grêmio, pela soberba de seu treinador e da direção, imaginam quem não serão úteis no principal campeonato nacional. Talvez, se o Grêmio for campeão brasileiro com cinco rodadas de antecedência, esses pontos não farão falta, mas isso dificilmente irá acontecer.

Poupar jogadores é um expediente que deve ser utilizado em momentos extremos. Hoje os times da primeira divisão têm em suas estruturas profissionais que são capazes de prever futuras lesões em atletas e a condição física de cada jogador está mapeada. Então quando um jogador está à beira de uma lesão, é justo que ele seja poupado de uma partida. Mas esse não foi o caso do jogo contra o Sport. O Grêmio veio de um jogo em casa contra o Zamora, pior time da Libertadores, que não demonstrou resistência nenhuma. Foi um jogo fácil, um coletivo na Arena.

Tem nessa semana uma decisão pela Copa do Brasil, vaga que está muito bem encaminhada pela vitória de 3x1 no primeiro jogo. Há pouco tempo, o Grêmio ficou cerca de dez dias sem ter uma partida oficial devido à eliminação no Gauchão. Portanto, não imagino que todo o time titular está tão desgastado assim. Mas essa foi a decisão da direção e o preço foi pago.

O Grêmio perdeu a oportunidade de ser líder isolado, perdeu a oportunidade de acumular três vitórias em três jogos, perdeu a oportunidade de abrir seis pontos do Palmeiras, que é o time mais preparado para essa competição. O Grêmio perdeu, e não perdeu por que teve à frente um adversário superior. Perdeu porque não estava afim de ganhar.

Poupar jogadores para que? Para o Luan fugir de cinco viaturas da Brigada Militar durante a madrugada? Não faz sentido.

GAÚCHO

O periquito perdeu mais uma, na última rodada da primeira fase foi derrotado pelo Igrejinha por 3x1, com isso encerrou esta etapa classificado, porém, não da forma que se esperava, de sete times classificou em quinto com apenas 11 pontos de 36 disputados. Agora vem a segunda fase onde de seis times quatro seguem adiante, se o Gaúcho não melhorar o seu desempenho corre sério risco de ficar pelo caminho.

PASSO FUNDO FUTSAL

No último sábado tivemos mais uma bela vitória do Passo Fundo Futsal diante de um grande público no Capingui. O adversário era o Lagoa Futsal que até saiu na frente, mas mais uma vez o Passo Fundo correu atrás do prejuízo e venceu a partida por 4x2. O técnico Alexandre Boeira tem feito um grande trabalho com o grupo de jogadores que é muito qualificado. Além do contar com o goleador Alemão, tem a experiência do Nuno, Dani Ottoni também tem se destacado na equipe, porém no jogo de sábado dois jogadores foram os donos da partida, Thales pela sua movimentação e qualidade técnica e o Romarinho, recém-chegado ao time marcou seis gols em dois jogos, quatro contra o Figueira e dois no último sábado, é baixinho, habilidoso e chuta muito bem.

O desempenho em quadra está prometendo, a torcida está participando, continuando assim 2017 será um grande ano para o futsal de Passo Fundo.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”