Acrofobia: medo de altura

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

A Acrofobia ou “larofobia” que é o medo irracional e exagerado de lugares altos. Este medo pode paralisar ou causar ataques de pânico e agitação. É comum também a fobia em locais de proteção, mas que permitem olhar a altura, como mirantes, salas  e elevadores de vidro e outros.

Estima-se que entre 2% a 5% da população mundial sofra de Acrofobia. As mulheres apresentam duas vezes mais este distúrbio quando comparadas com os homens.

O medo de altura acaba prejudicando a vida social e profissional, pois muitas pessoas não conseguem estar em andares mais alto de edifícios, se privam de passeios e atividades de lazer com amigos e familiares. Algumas teorias apresentam como causas as seguintes situações: modelação da ansiedade fóbica dos pais (aqui a criança copia o padrão de medo e esquiva de um ou de ambos os pais); educação/instruções (quando os pais educam os filhos enfatizando os perigos dos ambientes altos); condicionamento aversivo (a pessoa passa por alguma situação muito desagradável ou aversiva e a partir daí passa a evitar estas situações). O mecanismo evolutivo de sobrevivência desenvolvido pelos mamíferos é uma das razões que faz com que as pessoas tenham medo da altura.

Os sintomas característicos incluem falta de ar, respiração rápida, batimentos cardíacos irregulares, suor, náusea e sentimentos gerais de pavor. A busca por um profissional é indicado, uma vez que ajudará a desenvolver habilidades de enfrentamento para gerenciar o medo e a ansiedade.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”