O papel da tecnologia e das redes sociais no nosso dia a dia

Postado por: Jéssica Limberger

Compartilhe

A tecnologia está presente no nosso dia a dia: acessamos o Facebook, nos comunicamos por WhatsApp, atendemos ligações e respondemos e-mails. Todos os dias, estamos rodeados por diferentes informações, em interação com diferentes pessoas. Nesse sentido, surgem alguns questionamentos: a tecnologia aproxima ou afasta as pessoas? contribui para a nossa felicidade ou para a nossa tristeza?

Com as diferentes tecnologias e o uso da internet, passamos a ter acesso a uma infinidade de informações. As redes sociais, além de proporcionarem a interação entre as pessoas, também se tornaram um meio de lazer e de divulgação de informações. Assim, sentimo-nos felizes ao postar uma foto, ao ler os comentários das pessoas, ao curtir algo que achamos interessante. Entretanto, será que possuímos apenas sentimentos positivos ao acessar uma rede social?

Também cabe a nós percebermos o quanto as redes sociais podem contribuir com sentimentos desagradáveis na nossa vida. Imagine que é final de semana e você está confortável na sua casa. Antes de começar a ver um filme, você decide entrar no Facebook. Em seguida, você começa a ver que várias pessoas estão fazendo atividades que parecem mais interessantes que a sua: alguns foram para a balada, outros foram jantar fora, outros postaram uma foto com o namorado e por aí vai... Mesmo sem perceber, é provável que muitas pessoas acabam imaginando que as outras pessoas estão fazendo atividades mais interessantes que a sua.

É nesses momentos que necessitamos ter atenção no uso das redes sociais. Ficarmos nos comparando com a vida que as outras pessoas expõem nas redes sociais pode ser uma grande “enrascada", por duas razões. Primeiro, porque o excesso de comparação nos impede de olhar para nós mesmos e para a nossa felicidade, tendo a falsa ideia de que os outros sempre estão melhores que nós. Segundo, porque ao nos compararmos, acabamos esquecendo que a informação que aparece no Facebook é apenas uma parte da vida daquela pessoa, e não o todo.

É importante lembrar que a tecnologia pode tanto aproximar como afastar as pessoas. Imagine que você quer falar com um amigo, mas ele mora distante. Você pode ligar para ele, mandar um WhatsApp ou até fazer uma chamada de vídeo. Desta forma, aquele vínculo entre vocês se torna ainda mais intenso, pois vocês acabaram de conversar e sentiram-se bem, estando conectados, mesmo que distantes.

Por sua vez, mesmo sem perceber, podemos estar nos afastando das pessoas por conta do mau uso da tecnologia. Se ficarmos mexendo no celular enquanto um amigo conversa conosco, talvez não estejamos dando a atenção necessária a ele naquele momento. Se recebermos uma visita e ficamos concentrados apenas no que está passando na televisão, talvez a conversa fique superficial com aquela pessoa.

Diante desse cenário, é necessário estarmos atentos às motivações que nos levam ao uso das redes sociais. Se acessamos constantemente as redes sociais e ficamos frustrados vendo o que as outras pessoas estão fazendo, se ficamos ansiosos por ver quantas curtidas nossas publicações possuem, então necessitamos repensar o nosso uso da rede social.

Diante de tais questões, percebemos que não são as tecnologias ou as redes sociais em si que nos deixam tristes ou felizes, que nos afastam ou nos aproximam. O que vai fazer a diferença é justamente a maneira como fazemos o uso das tecnologias. Que o uso das tecnologias e redes sociais seja consciente, a fim de que elas nos tragam benefícios e não apenas prejuízos.

 

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas