Prevenindo a enxaqueca através da alimentação

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), cerca de 30 milhões de brasileiros sofrem de enxaqueca, dentre esses, 75% são mulheres. Muitas podem ser as causas da enxaqueca, desde problemas tensionais, normalmente associados ao estresse, até resultantes de tumores, aneurismas, medicamentos fortes.

Quem sofre desse problema sabe o quanto é limitador há varias causas para enxaqueca, entre elas a genética, ciclo hormonal e alguns "gatilhos":

Gatilhos para a dor:

Erros alimentares: Ficar sem comer desencadeia enxaqueca pela queda de glicose. No entanto, comer grandes quantidades, principalmente de carboidratos e doces após o jejum prolongado, também acarreta em dor.

- Excesso de cafeína (Café, chá mate ou preto, bebidas tipo cola, chocolates): o recomendado é ingerir de 200 a 250mg de cafeína por dia, sendo que um café expresso contém de 80 a 100mg de cafeína e o coado 50mg. Não devemos esquecer também que quem toma muito café durante a semana e o suspende no fim de semana pode ter enxaqueca "por abstinência".

- Alimentos específicos: Frutas cítricas, nozes, queijos, assim como aqueles ricos em glutamato monossódico (salgadinhos) e vinho podem agravar enxaqueca.

Além desses, outros fatores desencadeiam o processo.

 sono: Tanto dormir pouco quanto exagerar no sono pode desencadear a dor.

Ansiedade, irritação e labilidade emocional: esses fatores estão associados à crise de dor de cabeça.

Sedentarismo: A serotonina produzida pela atividade física pode evitar a crise ou diminuir a intensidade da dor.

Independente qual for a causa é importante ingerir muita água, pois ela mantem a hidratação do corpo e dos neurônios que impedem as crises.

Leia Também Reconhecer o erro, pedir perdão, sinal de grandeza! O Mecanismo! Pace Sistema elétrico do Fusca