Mitomania: Pinóquio na vida real

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

Mitomania é quando se tem um mentiroso patológico, um quadro no qual a pessoa sente uma compulsão por mentir. Mesmo estando consciente de que sua narrativa não é verdadeira, o mitômano não consegue controlar seu hábito de mentir.

As causas da mitomania estão normalmente vinculadas com os seguintes fatores: baixa autoestima (a pessoa se autodeprecia internamente e através da mentira, busca a valorização, aceitação em grupos e estabilização de sua insegurança emocional); situações traumáticas da infância (situações que podem ser intensas, a mentira pode ser uma maneira de fugir de sua realidade e preservar conteúdos desconfortáveis de pessoas de seu convívio social); necessidade de atenção (através da mentira, encontra uma forma de manter-se em evidência); exemplo no convívio (reproduz comportamentos mentirosos de pais e familiares próximos onde a mentira foi percebida como necessária durante a construção de sua personalidade nos primeiros anos de vida); tendem a ser manipulativas; têm dificuldade em manter um relacionamento longo.

A mentira compulsiva além de poder impactar negativamente nas relações interpessoais e profissionais, pode causar sofrimentos a quem pratica, gerando sensações de impotência, insegurança e conflitos sobre sua identidade. É importante que as pessoas que convivem com uma pessoa mitomaníaca tenham paciência e não de quem esteja julgando-a. Muitas vezes a falta de apoio foi exatamente o que levou ela a mentir.

O tratamento da mitomania é realizado através da terapia, uma vez que o terapeuta investigará questões que possam estar levando a este comportamento.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”