O poder da palavra

Postado por: Jéssica Limberger

Compartilhe

Há muito tempo, eu estava na quinta série e participei da I Jornadinha Nacional de Literatura, na cidade de Passo Fundo/RS. Diante de tantos momentos incríveis que aconteceram naquele evento, tem um que me marca até hoje. Peguei o autógrafo de um escritor, que gentilmente escreveu: "Jéssica! Você é das minhas! Um dia você também vai escrever".

Para uma menina de 10 anos, que já possuía a paixão pela leitura, aquilo foi como um troféu. Assim, passaram-se anos, entre um caderninho de poemas até adentrar em textos mais elaborados. No Ensino Médio, outra lembrança especial, da professora Josefina, que deixou um recadinho junto com a nota da avaliação: "Um dia quero ler um livro seu".

Tais momentos, tão marcantes, de certa forma contribuíram para que hoje eu estivesse escrevendo esse texto. Na nossa vida, diante de tantas pessoas com quem convivemos, somos marcados pelas palavras de incentivo daqueles que acreditaram no nosso potencial e nos motivaram a seguir em frente.  É sempre ótimo acreditarmos na nossa capacidade, e melhor ainda quando mais alguém aposta no nosso sucesso.

Assim como as palavras podem conduzir ao nosso crescimento pessoal, tantas outras podem trazer mágoas. Tais palavras, que infelizmente chegaram até nós e ficaram ecoando: “você é tímido”, “você é feio”, “você é burro”, “você é gordo”, “você é um desastrado”, “você faz tudo errado” e “você não vai conseguir”. Essas e tantas outras palavras, por muitas vezes nos impediram de percebermos o nosso potencial e a nossa força, pois acabamos acreditando nelas.

Não podemos mudar as palavras que as pessoas disseram no decorrer da nossa vida, não podemos mudar o quanto aquelas palavras nos machucaram no passado, mas podemos reescrever a nossa história com outras palavras no momento presente. Certa vez, ouvi falar que na Psicologia, a cura acontece pela palavra. Essa definição é muito profunda, pois a palavra nunca está sozinha. A palavra reflete os nossos pensamentos, que juntamente com os nossos sentimentos, repercute nos nossos comportamentos.

Quem me conhece, sabe que sou uma sonhadora. Sonho com um mundo em que as pessoas vão cuidar dos seus pensamentos assim como cuidam dos seus exames de rotina. Sonho com um mundo em que as pessoas não sintam medo ou vergonha de procurar um psicólogo, ou até mesmo de dizer para alguém que estão indo em um psicólogo. Sonho com um mundo em que as pessoas percebem que cuidar de si é um bem precioso.

Além de sonhar, eu também vivo esse sonho e busco concretizá-lo a cada dia, seja nos atendimentos que realizo, nas pesquisas que desenvolvo ou nos textos que escrevo. Assim, busco que a Psicologia esteja cada vez mais próxima do cotidiano das pessoas, contribuindo no alívio do sofrimento, no enfrentamento das suas dificuldades e auxiliando na qualidade de vida. A Psicologia não vai ser uma “solução mágica” para os problemas, pois psicólogo e paciente vão trabalhar juntos para alcançar o objetivo pretendido.

Continuo sonhando: que as palavras deste texto possibilitem que você reflita sobre as palavras que disse aos outros, e sobre os tipos de palavras que chegaram até você. Que você perceba a importância de cuidar do seu bem mais precioso: você mesmo.

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018