Transtorno de Personalidade Histriônica

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

A pessoa com Transtorno de Personalidade Histriônica demonstra uma grande necessidade de aceitação, atenção, comportamentos excessivamente dramáticos, são pessoas muito emotivas, dramáticas, manipuladoras, sedutoras, impulsivas, inconstantes e exigentes. Os indivíduos buscam a dramatização para impressionar os outros.

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), o transtorno é caracterizado como: autodramatização, teatralidade, expressão exagerada de emoções; sugestionabilidade, facilmente influenciada por outros, ou por circunstâncias; afetividade superficial e lábil; busca contínua de excitação, apreciação por outros e atividades nas quais o paciente seja o centro das atenções; sedução inapropriada em aparência ou comportamentos; preocupação excessiva com atratividade física.

Os indivíduos com Transtorno de Personalidade Histriônica possuem uma necessidade doentia e constante de atenção, tendo comportamentos excessivos para atrair atenção para si. Tendem a evitar relações afetivas autênticas, profundas e íntimas. Apresentam profundos sentimentos de aborrecimento e tristeza se forem ignorados, excluídos, rejeitados ou abandonados e ficam mal-humorados. Envolvem as pessoas para que estas não notem seus pontos fracos.

Muitas vezes as pessoas com Transtorno de Personalidade Histriônica não acreditam precisar de um tratamento ou de ajuda. A psicoterapia é geralmente a forma de tratamento sozinha ou até com medicação, se busca ajudar o indivíduo a descobrir as motivações e medos associados com os seus pensamentos e comportamento, além de ajudar a pessoa a prender a se relacionar com os outros de uma forma mais positiva.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”