Garis estão desistindo do trabalho

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Qualificação é a saída para o desemprego

Os números oficiais mostram que o desemprego já esteve pior no Brasil neste ano e que aparentemente as coisas começam a melhorar, a pesar de toda a turbulência política. Entretanto para quem não busca qualificação, profissionalização, as coisas tendem a continuar difíceis. O problema é que para vagas onde a maioria das pessoas pode trabalhar que não exige tanta qualificação, a disputa é acirrada e para outras que se exige uma formação e conhecimento maior, faltam candidatos que preencham os requisitos. No sábado, no programa Frente e Verso, na Rádio Planalto, este tema foi debatido pelo administrador do Sine, Gilmar Brunetto e pelo superintendente do CIEE, Adriano Lírio. Inclusive para quem buscar se qualificar a coisa está acessível, tanto no Sine, através do Governo do Estado, como pelo CIEE existem cursos oferecidos gratuitamente, muitos on line o que facilita ainda mais. Muitas vezes as pessoas deixam de se qualificar por não saber que existe estas oportunidades, então vale a pena buscar informações e melhorar a sua condição no mercado de trabalho.

 

O que era para ser bom para os garis, está fazendo muitos desistirem do trabalho

Uma decisão recente do Ministério do Trabalho, quanto à realização do serviço de coleta do lixo em Passo Fundo, trouxe, entre outras coisas, a determinação de que os Garis não podem mais ir “pendurados” no caminhão, na parte traseira. Pela norma estabelecida, o Gari deve ir na cabine, junto com o motorista. Porém este desce e sobe da cabine, tem provocado acidentes, inclusive lesões musculares e até problemas de joelho e tornozelo nos trabalhadores. Na verdade o que o MT pensou, de dar mais segurança para os trabalhadores, não se confirmou e foi literalmente um tiro no pé, pois está prejudicando ainda mais, tanto que nos últimos dias, em virtude desta situação, muitos desistiram da função. Como a intenção foi boa, mas não deu certo, é preciso rever e encontrar outra solução, senão daqui a pouco não teremos mais Garis para recolher o lixo na cidade.

 

Clima para as próximas eleições começa a esquentar

Os partidos políticos começam a receber assédio de muitos pré-candidatos, em busca de filiação e apoios para as futuras candidaturas. Está sendo dado início as negociações e propostas, que nem sempre são cumpridas, mas na política essa é a pratica da maioria, em todas as eleições. Ainda não estão bem claros os interesses de algumas pessoas, mas é bem provável que tenhamos novos nomes para a disputa do pleito. Para deputado estadual a maioria dos partidos de Passo Fundo vai lançar alguém, será um desafio para a cidade, com tantos candidatos, eleger alguém, historicamente quando acontece isso, os votos se dividem e ninguém chega lá. Tomara que desta vez seja diferente.

 

Dizem por aí... Que um ex-prefeito de Passo Fundo, que fez fiasco na última eleição municipal, procura um partido para concorrer a deputado federal. Será verdade?

Leia Também Mentira desmascarada Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia