O pior jogo do Gaúcho

Postado por: Cristian Queiroz

Compartilhe

Um time perder um jogo é absolutamente normal, ainda mais quando se tratam de duas equipes de forças equivalentes. O problema está na forma como a derrota acontece. O problema é o time passar 90 minutos sem conseguir criar, sem conseguir trocar passes, sem conseguir finalizar, sem conseguir se defender de forma eficiente.

Foi isso o que aconteceu com o Gaúcho na tarde fria de ontem, 02, em Garibaldi, diante do PRS. Sem dúvida a pior apresentação que vi do Gaúcho esse ano. Nada deu certo. O Gaúcho não se encontrou em campo, os jogadores erravam passes simples, a defesa parecia pesada, chegando sempre atrasada, o meio não conseguiu criar e o ataque nas raras chances que teve não foi eficiente. Foi um jogo para esquecer, ou melhor, foi um jogo para servir de exemplo do que não repetir se quiser seguir adiante na competição.

Na quinta-feira o Gaúcho recebe o Igrejinha. O jogo será de extrema importância e vital para o clube, em caso de derrota se complicar e fica sujeito a classificar na quarta colocação enfrentando o Inter, que até aqui não perdeu nenhuma (nessa segunda divisão, que fique claro). Nesse caso muito provavelmente o Gaúcho comemorará o seu centenário ainda na famigerada terceira divisão, ou segunda como gosta o Noveletto.

GRÊMIO

Amanhã, 04 é dia de Copa, é o primeiro jogo das oitavas pela Libertadores onde o Grêmio enfrenta o Godoy Cruz na Argentina. É jogo para ganhar e encaminhar bem a classificação e como o segundo jogo é somente em aproximadamente um mês o Renato poderá utilizar o time titular no Brasileiro e seguir no bolo dos que brigam pelo título. Se não der cá tentamos lá, se não der cá nem lá, o Grêmio ainda tem acolá para ser feliz.

O jogo contra o Palmeiras era para um empate honesto, mas dai a garotada acaba se atrapalhando e marcando um gol contra, é do jogo, bola pra frente que o Brasileirão é longo e o Grêmio segue na segunda colocação.

BOA segunda!

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”